Mesmo com crise, consumo de café não diminui entre os brasileiros

Imprimir
Uma das bebidas mais consumidas no País, o café possui uma verdadeira legião de fãs. Do coado em filtros de pano ou papel aos chamados gourmets, esta iguaria sempre está em alta.

Em 2015, o consumo teve um leve acréscimo. Passou de 20.333 milhões de sacas (em 2014), para 20.508 milhões. Além disso, mesmo com a crise econômica que o Brasil atravessa, o consumo não diminuiu. De acordo com pesquisa da Euromonitor, contratada pela ABIC – Associação Brasileira da Indústria de Café, mais de 80% dos lares tem café, sendo que 89% dos consumidores acima de 60 anos o bebem diariamente. Já os jovens entre 16 e 20 anos, têm frequência de 49%, com média geral de 3.7 xícaras por dia.

O levantamento também mostrou que 41% das pessoas podem migrar de marca por conta da crise, mas não suspenderão o consumo. Além disso, a pesquisa projeta um crescimento do consumo em volume, para 24 milhões de sacas em 2019. O ingestão per capita aumentou, passando a 4.90kg por habitante ao ano de café torrado e moído (6.12kg de café verde em grão), o equivalente a 81 litros por habitante ao ano.

Foto: Arquivo

E não é apenas o mercado de café que cresce. De olho neste nicho, as indústrias que produzem produtos relacionados à bebida trazem sempre novidades aos consumidores, que desejam praticidade, qualidade e design nas peças. E justamente isso que a catarinense Ceraflame oferece. Entre alguns dos produtos indicados para consumidores e também cafeterias, é a linha Martelada – a primeira da empresa com textura feita à mão. A linha é formada por chaleira; xícaras; pires e o famoso ibrik, para servir o tradicional café turco. As peças estão disponíveis em diferentes tamanhos e quatro opções de cores.

Os produtos são diferenciados, pois são desenvolvidos a partir de matéria-prima inorgânica exclusiva, que garantem a ausência de contaminação dos alimentos por resíduos metálicos, tornando-os atóxicos. Além disso, são as únicas peças no mundo 100% resistentes a choques térmicos, o que permite tirá-las do fogo e colocá-las em superfícies frias sem receio de trincá-las, levando ainda mais praticidade ao dia a dia do consumidores.

Fonte: Agência IN (Por Nicole Ongaratto)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *