Irrigação

Apresar da evolução no uso dessa prática, não deverá atingir a grande área cafeeira em função dos seguintes itens:
  1. A maior parte das lavouras está localizada em regiões com balanço hídrico ideal.
  2. A localização da cultura, além de extensiva, normalmente localizada em áreas altas com pouca disponibilidade de água o que dificulta e encarece o processo.
  3. A resposta à irrigação não é regular face a característica de ciclo bianual da lavoura.
  4. É uma planta bastante tolerante à seca, especialmente o Conillon.


A irrigação está sendo utilizada como alternativa para implantação da lavoura em regiões inaptas.

As regiões prioritárias para irrigação, onde tem apresentado boas respostas são:

  1. Alto Paranaíba, Triângulo Mineiro e Noroeste de Minas.
  2. Região Nordeste: Bahia, Pernambuco e Ceará.
  3. Zona de café Conillon – Espírito Santo, sul da Bahia e certas áreas de Rondônia.
  4. Zona da Mata de Minas, Jequitinhonha, faces continentais das serras dos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.


O período crítico para planta é de outubro a abril quando a falta de água afeta em:

  1. Perdas no desenvolvimento da planta e dos frutos.
  2. Tamanho dos frutos.
  3. Tipo do café (presença de chochos e mal granados).
  4. No rendimento coco/beneficiado (presença de chochos e mal granados).


Algumas medidas podem auxiliar na dispensa do uso da irrigação:

  1. Plantio bem feito, com mudas com bom sistema radicular em covas ou sulcos profundos.
  2. Terrenos profundos e bem drenados.
  3. Controle do mato no período seco, principalmente através de herbicidasmantendo cobertura morta.
  4. Manutenção de plantas com menor número de hastes através dedesbrotas.
  5. Utilização de arborização com árvores que tenham sistema radicular profundo.
  6. Uso de cobertura morta em áreas onde houver facilidade (folhas, capim, pó de serra, casca de arroz,etc.).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *