Inverno em Minas é o mais rigoroso em 10 anos

Imprimir

Friorenta, como ela mesma se define, a estudante Bianca Gulart, de 18 anos, agasalhou-se como pôde e, mesmo vestindo três blusas, precisou de um chocolate quente para se esquentar. “Está frio demais. A sensação é de que é um dos dias mais frios do ano.” Assim como muitos mineiros, ela percebeu que a quarta-feira teve algo de peculiar: a queda acentuada dos termômetros. Na quarta-feira, de acordo com a meteorologia, foi registrada a mais baixa temperatura de 2010 em Minas Gerais. O recorde gelado ocorreu em Monte Verde, distrito do município de Camanducaia, no Sul do estado, com 2,7 graus negativos. Na capital, a mínima também foi digna de bater o queixo: 8,5 graus na madrugada, acima apenas da registrada em 13 de junho, quando Belo Horizonte enfrentou 7,4 graus na Região da Pampulha. Outros 17 municípios mineiros enfrentaram quarta-feira as mais baixas marcas do ano.

Temperaturas tão baixas não ocorriam no estado há pelo menos 10 anos. “Essa massa de ar frio veio do Sul do país. As quedas nos termômetros que vêm ocorrendo desde junho são algo que os mineiros não sentem há cerca de uma década”, diagnostica o meteorologista do Centro de Climatologia Tempo Clima/Puc Minas, Afonso Souza. De acordo com ele, no ano passado, durante o inverno, os registros não eram tão rigorosos. “Em 2009, não tivemos massas de ar frio tão frequentes. Este ano, desde o outono estamos enfrentando ondas de frio”, afirma, lembrando que a situação se repete em outros estados, como em Santa Catarina, no Sul, onde chegou a nevar.

De acordo com o especialista, nesses últimos dias, como era de se esperar para a época do ano, a velocidade média do vento está entre 35 a 40 quilômetros por hora. “Isso dá uma sensação de mais frio ainda”, comenta. A umidade do ar ficou em 33% na capital. “No Triângulo, onde o tempo está mais seco, a umidade foi de 25%”, diz.

A temperatura só começa a subir a partir de sexta-feira, segundo a meteorologia. “Mas gradativamente”, avisa Afonso, alertando que, nesta quinta-feira, os mineiros ainda enfrentarão termômetros em baixa. “No fim de semana, as pessoas devem continuar se agasalhando, pois a previsão é de que Belo Horizonte registre entre 12 graus e 25 graus, com dias ensolarados em todo o estado”, projeta.

Para esta quinta-feira, a previsão é de mínima de 1,1 grau negativo, que deve ser registrada no Sul do estado, com máxima de 32 graus, no Triângulo. Paralelamente, o clima seco continua afetando várias regiões do estado. Até 30 de agosto, há a possibilidade, de acordo com o meteorologista, da chegada de nova massa de ar polar ao estado. “Até segunda-feira, não há nenhuma previsão de nova frente fria, mas não descartamos a chance de enfrentar, ainda este mês, novas quedas nos termômetros.”

Se a previsão se confirmar, pessoas que torcem o nariz para o frio, como a estudante Bianca, ainda terão alguns dias de sofrimento. “Sinto muito frio. Durmo com três edredons e me agasalho bem. Sou de Muriaé, no Leste de Minas, e lá a terra é de sol e muito calor”, diz. Já para a cabelereira Adélia Siqueira Guedes Nunes, que também não é muito fã das baixas temperaturas, a única vantagem desta época do ano é o vestuário. “A gente fica mais bonita e mais elegante”, disse, mostrando, ontem, o casaco de lã sintética, cachecol e botas que usava para enfrentar o termômetro. “Mas bom mesmo é tomar um chá quente ou café e um bom cobertor de orelha”, brincou.

Fonte: Estado de Minas (texto) e G1 MG (video)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *