Chapada de Minas e Cerrado Mineiro produzem os melhores cafés especiais do Brasil em 2018

Imprimir
Em cerimônia marcada por muita emoção e que reconheceu a crescente qualidade dos cafés brasileiros, foram definidos, no domingo, 21 de outubro, em Guaxupé (MG), os melhores grãos especiais da safra atual, que venceram o Cup of Excellence – Brazil 2018. A empresa Primavera Agronegócios, com o lote produzido na Fazenda Primavera, em Angelândia, na região da Chapada de Minas Gerais, sagrou-se campeã da categoria “Pulped Naturals”, com a nota 93,89 pontos. Já o cultivado por Maria do Carmo Andrade, na Fazenda Paraíso, em Carmo do Paranaíba, situada na Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, foi o campeão da categoria “Naturals”, com 93,26 pontos.

O Cup of Excellence – Brazil 2018, principal concurso de qualidade para cafés do mundo, realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE), teve 67 vencedores, sendo 30 na categoria “Pulped Naturals” e 37 na “Naturals”, que são os lotes que receberam notas iguais ou superiores a 86 pontos (escala de zero a 100 da competição) pelos 29 profissionais, oriundos de 10 países, que compuseram o júri internacional.

Para a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, o concurso exerceu sua função de garimpar os cafés nacionais que possuem um nível de excelência diferenciado e evidenciam a variedade e a qualidade dos grãos brasileiros. “O resultado foi extraordinário, fenomenal. Os juízes ficaram surpresos com a diversidade dos cafés recebidos, principalmente os da categoria Pulped Naturals, que destacaram que nossas diversas variedades e origens produtoras são capazes de entregar, com excelência e em quantidade, o que há de melhor ao mundo”, celebra.

A diversidade de sabores ficou evidente em consulta aos juízes internacionais, que destacaram que os melhores cafés especiais brasileiros ofereceram sensações gustativas que remetem a bergamota, mel, chocolate, mirtilo, pêssego, cana de açúcar, amora e frutas cítricas, entregando paladares intensos, com acidez acentuada e notas similares à escala dos vinhos.

O colombiano Ramon Alfredo Presiga Tangarife, da Latorre & Dutch Green Coffe, que compôs o júri internacional, destaca que provou cafés extraordinários produzidos no país. “São muito particulares pelos diferentes perfis que apresentam e essa diversidade faz com que o Brasil se posicione pela qualidade e pelas notas especificas de cada café, sendo muito atrativo para os clientes internacionais e nacionais”, sintetiza.

PULPED NATURALS
Na categoria voltada aos cafés cerejas descascados e/ou despolpados, cinco amostras receberam o título de café presidencial, obtendo nota superior a 90 pontos do júri internacional: os cafés produzidos por Reinaldo Garcia dos Santos, no Sítio Fortaleza, em Luisburgo, nas Matas de Minas; pela empresa Dimap, na Fazenda Santo André, em Pratinha, na Denominação de Origem do Cerrado Mineiro; por Maria José Junqueira Céglia, na Granja São Francisco, em Carmo de Minas, na Identificação de Procedência da Mantiqueira de Minas; e por Antônio Macedo Souza, no sítio Santo Antônio, em Piatã, na Chapada Diamantina da Bahia, além do campeão. Houve, ainda, sete “National Winners”, com notas entre 84,00 e 85,99 pontos.

NATURALS
Dos 37 vencedores na categoria dedicada aos cafés naturais, colhidos e secos com casca, oito obtiveram o título de café presidencial, com nota superior a 90 pontos. Além da campeã Maria do Carmo Andrade, os lotes produzidos por Robson Vilela Martins, na Fazenda São Pedro, no município de Cristina, Alvaro Pereira Coli, do Sítio da Torre, em Carmo de Minas, Augusto Borges Ferreira, do Sítio Fortaleza, em São Gonçalo do Sapucaí, e Alessandro Alvez Hervaz, na Fazenda Fortaleza, também em São Gonçalo do Sapucaí, todos situados na Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas; por Salvador da Paixão Mesquita, na Chácara São Severino, em Piatã, e por José Renato Rodrigues Alves, na Chácara Vista Alegre, também em Piatã, na Chapada Diamantina, na Bahia; e por Silvia Dias Cambraia, na Fazenda Campo Alegre, em Santo Antônio do Amparo, no Sul de Minas Gerais, completam o seleto grupo. A categoria também teve um café considerado “National Winner”.

ORIGENS PRODUTORAS
A região com o maior número de vencedores na categoria “Naturals” foi a Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas, com 15 amostras (40,54% do total). Na sequência, vieram a Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com nove lotes (24,32%); Sul de Minas, com seis cafés (16,22%); Chapada Diamantina, com três amostras (8,11%); Matas de Minas, com dois lotes (5,41%); e Média Mogiana e Indicação de Procedência da Alta Mogiana de São Paulo, com um café cada (2,70%). O resultado completo está disponível no site da BSCA.

Entre os 30 vencedores da categoria destinada aos cafés produzidos por via úmida, destacou-se a região da Chapada Diamantina, que respondeu por 15 desses lotes. Os demais ganhadores foram produzidos na Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas, com sete amostras (23,33%); Matas de Minas, com quatro cafés (13,33%); Sul de Minas, com dois lotes (6,67%); e Chapada de Minas e Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com uma amostra cada (3,33%). O resultado completo está disponível no site da BSCA.

LEILÃO DOS VENCEDORES
O próximo passo do Cup of Excellence – Brazil 2018 é o disputado leilão, via internet, dos vencedores de cada categoria, que pagou mais de *R$ 55 mil por saca ao campeão do principal concurso de qualidade para cafés especiais no ano passado. Para os vitoriosos na “Pulped Naturals”, o leilão dos vencedores ocorrerá no dia 29 de novembro, enquanto para os vencedores da “Naturals” será realizado em 5 de dezembro. Já os “National Winners” de ambas as categorias serão ofertados em leilão entre 29 de novembro e 7 de dezembro.

A fase internacional e a cerimônia de premiação e anúncio dos vencedores do Cup of Excellence – Brazil 2018 tiveram a cooperativa Cooxupé e a empresa SMC Specialty Coffees como anfitriãs. Todas as etapas do concurso foram auditadas pela Agricert Brasil.

BRAZIL. THE COFFEE NATION
O Cup of Excellence – Brazil 2018 é ação integrante do projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”, que é desenvolvido em parceria por BSCA e Apex-Brasil e tem como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no país. O projeto visa, ainda, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.

Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto se dá até maio de 2020, tendo como mercados-alvo: (i) Alemanha, Austrália, Canadá, China, Coréia do Sul, Estados Unidos, Itália, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido, Rússia, Taiwan (Formosa) e Turquia para os cafés crus especiais; e (ii) Argentina, China e Estados Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

*No leilão dos vencedores da categoria “Pulped Naturals” do Cup of Excellence – Brazil 2017, cada saca do lote campeão, do produtor Gabriel Nunes, da Fazenda Bom Jardim, em Patrocínio (MG), foi vendido por R$ R$ 55.457,60.

Fonte: Assessoria de Imprensa BSCA (Por Paulo André C. Kawasaki)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *