Café: vamos ver como governos vão digerir declaração de importadores, diz embaixador do Brasil

Imprimir
É preciso aguardar para ver como os governos, inclusive o do Brasil, vão digerir a declaração de grandes importadores de café para tentar sanar a crise dos preços da commodity, que tem castigado produtores menores. A avaliação foi feita ao Broadcast Agro pelo embaixador da Representação Permanente do Brasil junto a Organismos Internacionais (Rebraslon) em Londres, Hermano Telles Ribeiro, no intervalo de um seminário do setor realizado pela Organização Internacional de Café (OIC). “Temos de digerir isso. Vai envolver os compradores, o governo e a organização, que é intergovernamental. Foi aprovada por eles, mas tem de ser assimilada pelos governos”, disse.

Telles Ribeiro lembrou que se os governos não endossarem o documento de intenções dos importadores, ele passa a ser apenas um documento empresarial. “Temos, no entanto, interesse em ter a avaliação do setor privado internalizada nas nossas ações. Queremos mais proximidade com os players de mercado para fortalecer a Organização”, considerou, acrescentando que é prática das empresas criar planos estratégicos para longos prazos.

O texto apresentado ontem pelo setor privado vem sendo trabalhado em outras reuniões que precederam a de ontem. O I Forum de CEOs e Líderes Globais da OIC é avaliado como um encontro de alto nível, já que teve importantes executivos de empresas que realmente interferem no mercado. A ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina, foi convidada a participar, mas está retornando de viagem pelo Oriente Médio. “Foi um ineditismo de alto nível dos players, dos torrefadores. Com isso, podemos injetar uma agenda de futuro”, finalizou.

Fonte: Agência Estado (Por Célia Froufe) via CNC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *