Safra menor exige qualidade para garantir lucro ao produtor

Imprimir

A safra de café em Rondônia deverá ser menor este ano, avalia Benedito Alves, assistente técnico da Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural de Rondônia (Emater). Responsável pela orientação das organizações de produtores quanto à qualidade e comercialização do café, Benedito explica que a cultura do café é bianual quando produz muito em um ano, no ano seguinte tem uma safra menor.

“Os agricultores dizem que o café é uma planta de ano sim, ano não. Agora é a vez do ano não, com o agravante de que, em 2010 houve um prolongamento do período seco, acarretando um déficit hídrico que comprometeu a frutificação dos cafezais”, explica ele.

“Em algumas áreas o abortamento de frutos, devido a falta de chuvas na época certa, pode provocar uma redução de safra de até 50% em relação ao ano passado”, diz Benedito Alves. Essa perda de produtividade, no entanto, pode ser amenizada com a utilização das técnicas recomendadas pelos extensionistas para a colheita e pós-colheita, resultando na melhoria da qualidade do grão e, como conseqüência, melhoria do preço do produto.

Uma prática comum entre os cafeicultores é a colheita de frutos ainda verdes. Essa prática derruba a qualidade e desvaloriza o produto. Mas este ano, segundo observações do técnico Benedito Alves, foi diferente. A maioria dos cafeicultores aguarda até o meio do mês de maio, quando 70% dos frutos de café já haviam alcançado a maturação para iniciar a colheita.

Das 30 amostras analisadas e classificadas em Ouro Preto do Oeste, 20% alcançaram o tipo 7 que, segundo a tabela de classificação, pode ter até 160 defeitos. 30% obtiveram o tipo 7/8, com até 260 defeitos e o restante alcançou o tipo 8 com até 360 defeitos. Os agricultores que forneceram as amostras são referência na cultura do café, a exemplo do agricultor Moisés Delpinheiro, da Linha 20, município de Ouro Preto do Oeste. O café produzido por ele apresentou apenas 130 defeitos, abaixo do limite máximo aceito.

“O café ainda por colher representa menos de 30% da safra, que deve ser totalmente colhida até dia 10 de julho’, diz Benedito. O mercado está “comprador”, como se diz no jargão dos negociantes. Este mês, o técnico extensionista intermediou negócios a valores de R$ 220, a saca de café tipo 7 e a R$ 210 o tipo 7/8, pelo preço FOB (free on board) que significa livre de frete.

Fonte: Gente de Opinião

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

bo togel terpercaya

situs togel terpercaya

situs togel terpercaya

10 situs togel terpercaya

situs toto

bo togel terpercaya

agen togel terpercaya

situs togel terpercaya

situs togel resmi

bandar togel online

bandar togel terpercaya

link togel

link slot dana

10 situs togel terpercaya

situs togel terpercaya

5 bandar togel terpercaya

situs toto

situs toto

bandar togel terpercaya

agen togel terpercaya

bo togel terpercaya

situs togel terpercaya

bandar togel terpercaya

slot deposit 5rb

situs toto

toto togel

situs toto

toto togel

situs toto

10 situs togel terpercaya

situs togel resmi