Queda no preço do café preocupa trabalhadores rurais de MG

Imprimir

Em pleno período de colheita do café, os trabalhadores rurais estão insatisfeitos. O motivo é o valor recebido pela medida colhida.

Em uma fazenda em Três Pontas, sul de Minas Gerais, a cada 60 litros, o que corresponde a um saco, o trabalhador recebe R$ 7.

Raimundo Marcelino Ferreira está preocupado com a situação atual. A reclamação é a mesma entre muitos trabalhadores, pois o que eles recebem durante a safra deve render para manter a família durante o ano todo.

O produtor Gilvan Mesquita, que chegou a contar com 20 apanhadores na lavoura de 30 hectares, hoje tem apenas oito. Ele diz que não tem como pagar mais pela medida.

Quando se pensa em uma medida, em um apanhador, a impressão é que a diferença é pequena, mas basta um cálculo rápido para notar que a diferença influencia bastante na vida dos apanhadores e também no comércio da cidade de uma maneira geral de um ano para cá.

Multiplicando por 1,2 mil, que é o número de apanhadores safristas formais em Três Pontas, o valor corresponde a R$ 960 mil a menos circulando na economia do município.

G1 Economia / Agronegócios
Do Globo Rural

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

bo togel terpercaya

situs togel terpercaya

situs togel terpercaya

10 situs togel terpercaya

situs toto

bo togel terpercaya

agen togel terpercaya

situs togel terpercaya

situs togel resmi

bandar togel online

bandar togel terpercaya

link togel

link slot dana

10 situs togel terpercaya

situs togel terpercaya

5 bandar togel terpercaya

situs toto

situs toto

bandar togel terpercaya

agen togel terpercaya

bo togel terpercaya

situs togel terpercaya

bandar togel terpercaya

slot deposit 5rb

situs toto

toto togel

situs toto

toto togel

situs toto

10 situs togel terpercaya

situs togel resmi