É preciso aproveitar o ciclo para investir

Imprimir

As expressivas altas dos preços internacionais e domésticos da maior parte das commodities que servem de base para a produção de alimentos voltaram a garantir a essas matérias-primas um papel de destaque no forte crescimento da atividade econômica brasileira em 2010. Mais do que deitar sobre os louros da bonança do ano e das perspectivas positivas para 2011, porém, as cadeias do agronegócio nacional têm de estar atentas e pressionar pela solução de carências político-estruturais que, se não forem sanadas, tendem a abreviar os efeitos do ciclo virtuoso aberto pela crescente demanda global alavancada pelos emergentes, o próprio Brasil entre eles.

O alerta é de José Luiz Glaser, que em 1999 assumiu o comando das operações de soja da Cargill no país e que hoje deixa oficialmente a empresa. Embrenhado no setor há 28 anos e um de seus principais traders nessa última década de crescimento acelerado no país, Glaser, aos 55 anos, definiu há tempos que essa seria a idade ideal para descer da montanha-russa. Vivenciou períodos de prosperidade e desilusão no campo, e inicia esse "ano sabático" com a certeza de que o Brasil precisa de um plano de infraestrutura que faça sentido para que as profecias expansionistas tornem-se realidade.

À beira de uma das piscinas de um tradicional clube paulistanos, Glaser ainda gozava as férias acumuladas que tinha de tirar antes de consumar a aposentadoria no momento em que as cotações da soja voltavam a se aproximar da máxima histórica alcançada em junho de 2008, quando uma onda "altista" dos preços dos alimentos inundou o mundo, ressuscitou debates acalorados acerca da segurança alimentar e forçou uma reavaliação global da importância de produtos básicos como milho, trigo, soja e açúcar, inclusive como alternativas de investimentos. Glaser avisa que "tudo é ciclo".

"Vivemos a volta do ciclo da matéria-prima. Alguns ciclos são mais longos que outros, dependendo da maturação de investimentos, mas um dia eles acabam. Por isso é preciso aproveitar a boa fase atual para investimentos em educação, infraestrutura e em reformas necessárias para prolongá-la. Além de melhorias na logística, uma antiga obsessão, Glaser defende um zoneamento econômico-ecológico realista e eficiente para a produção de grãos – "com a demanda crescente, haverá pressão sobre a floresta, já que os produtos agrícolas estão lucrativos" – e mais investimentos em tecnologia para que as produtividades das lavouras possam continuar aumentando.

Glaser se aposenta como diretor da maior empresa de agronegócios do mundo responsável, no Brasil, pelo carro-chefe do campo do país, que é a soja. Há 28 anos, quando entrou na multinacional como estagiário, o grão ainda tentava se firmar em terras nacionais. Na época, o suco de laranja era mais importante para a subsidiária brasileira do grupo, mas Glaser não estava por aqui. Depois de deixar a Curitiba natal em 1973, de começar suas especializações em São Paulo e de trabalhar dois anos na SKF Rolamentos, decidiu ir aprender inglês nos EUA.

Nessa época, lembra, ouviu de Alkimar Moura [professor da FGV, ex-diretor do Banco Central e ex-vice-presidente do Banco do Brasil] que, ligado à indústria automobilística, sempre trabalharia na crise. "Já trabalhar com alimentos é diferente", disse Moura a Glaser, segundo relembra o segundo, "porque as pessoas tem que comer todo dia". Para o agora ex-diretor da Cargill, pesou para partir para o novo setor o fato de que o Brasil tinha muita terra disponível e grande potencial de crescimento – como ainda tem, por sinal. Fez mestrado em commodities na Califórnia, em curso patrocinado pelas grandes tradings mundiais – ADM, Bunge, Cargill e Dreyfus, o famoso grupo "ABCD" – e, de volta ao Brasil, optou pelo "C".

Iniciante, estreou no incipiente segmento de soja, como trader. "A 20 anos, a soja ainda era sazonal. O país exportava de março a setembro, quando entrava a safra dos EUA no mercado. A soja virou um negócio de 12 meses algum tempo depois, com o aumento da produção. Ser trader de soja era muito pouco". Era um tempo em que o grão começava a despontar em Mato Grosso, hoje o maior Estado produtor do Brasil, e de concentração da safra nos Estados do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Logo Glaser, que já era casado e tinha um filho recém-nascido, aceitou a proposta da Cargill de se mudar para Genebra para trabalhar com milho – "um produto novo e uma geografia nova, quando eu comecei a montar um acervo de ferramentas que seria muito usado no futuro" -, e dois anos depois tornou-se o chefe da mesa de negociações de farelo de soja no escritório suíço. "Ali comecei a aprender a importância da logística e da arbitragem", afirma.

Veio com o farelo a primeira transação marcante da carreira – "uma bela venda para a Rússia em um ano ruim [1989], e com exclusividade!" -, que lhe valeu o convite para comandar os negócios com café no Brasil. O Acordo Internacional do Café vigente na época havia chegado ao fim e Glaser, cujo segundo filho nasceu em Genebra, instalou-se em Santos. O mercado estava ruim e amargou perdas, mas continuou a consolidar a imagem de trader agressivo que ainda o acompanha.

"Não o conheço pessoalmente, mas já ouvi histórias sobre ele, nenhuma de gentileza. Só que os resultados da Cargill na soja são muito bons, e a estrutura montada por ele vai continuar, ao contrário do que muitas vezes acontece nessas situações", disse um corretor ao Valor. "Sozinho não dá para fazer nada, é preciso montar um bom time. Até por isso há muito tempo defini que ia me aposentar aos 55 anos. O time não funciona se você ficar no cargo para sempre. A empresa é um instrumento perene e é preciso preparar pessoas melhores do que você para facilitar a sucessão". Em tempo: o novo diretor de soja da Cargill no Brasil é o executivo Paulo Sousa.

Nesses dois anos em Santos houve tropeços, diz Glaser, mas mesmo assim ele foi escalado para comandar, de Nova Jersey, todo o negócio da Cargill com as exportações de café brasileiro. "Foi ótimo para os meus filhos e a primeira vez que tive a visão global de um negócio". O executivo voltou aos EUA em 1991, mas em 1997, após uma passagem por Virgínia, já estava no Brasil novamente. A soja havia ganhado status no país, e ele veio sabendo que se tornaria o diretor da área, já que o ocupante do cargo, Sérgio Barroso, já havia sido escolhido para ser o novo presidente da múlti no país – depois da aposentadoria, tornou-se secretário do Desenvolvimento do governo Aécio Neves em Minas Gerais.

"Naquele momento, era preciso dar resultado. Sou centralizador, mas sempre tentei tomar decisões por consenso ou maioria". A diretoria veio em 1999, após uma reorganização do grupo em plataformas de negócios. "Nos primeiros cinco anos, nunca trabalhei tanto. O mercado estava explodindo [a desvalorização do real, em 1999, colocou o Brasil de vez no mapa da soja]". Foi quando logística virou obsessão, já que o grão avançava por Mato Grosso, onde não havia infraestrutura. Nasceu ali a certeza de que era preciso chegar primeiro aos novos polos de plantio e tornar viável uma saída para as exportações pelo Norte – "se a BR 163 sair, eu ganho, se não sair, eu perco", recorda-se. Está saindo.

Mesmo em férias, Glaser, que faz parte dos conselhos do Ibmec e do frigorífico Minerva, mantém algo da rotina que não existe mais. Acorda cedo (entrava às 06h30 na Cargill), preserva as noites (saía pontualmente às 17h00 para práticas esportivas, família e leitura) e dorme 8 horas. Agora, diz, terá tempo para se dedicar à criação de cavalos, e quer ajudar a profissionalizar esta cadeia produtiva. Pretende viajar, e dessas visões poderá sair um novo futuro profissional. Foi testemunha do desenvolvimento do interior do Brasil. Ajudou a construir a cadeia produtiva mais eficiente do agronegócio nacional. E acredita que, com planejamento, foco e investimentos, a força do país nesse mercado crescer.

Fonte: Valor Econômico 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

dapurtoto

bo togel terpercaya

situs togel terpercaya

situs togel terpercaya

10 situs togel terpercaya

situs toto

bo togel terpercaya

agen togel terpercaya

situs togel terpercaya

situs togel resmi

bandar togel online

bandar togel terpercaya

link togel

link slot dana

10 situs togel terpercaya

situs togel terpercaya

5 bandar togel terpercaya

situs toto

situs toto

bandar togel terpercaya

agen togel terpercaya

bo togel terpercaya

situs togel terpercaya

bandar togel terpercaya

slot deposit 5rb

situs toto

toto togel

situs toto

toto togel

situs toto

10 situs togel terpercaya

situs togel resmi

bo togel terpercaya

bandar togel terpercaya

bo togel terpercaya

situs togel terbesar

situs togel terpercaya

bo togel terpercaya

bandar togel terpercaya

situs toto 4d

situs toto