VBP de Minas deve crescer 6,72% neste ano

Imprimir

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VPB) de Minas Gerais, estimado para 2016, com base nos dados de fevereiro, deve crescer 6,72% frente a 2015. O bom desempenho das lavouras, tanto em relação à produção quanto aos preços, é um fator que contribui para a expectativa de crescimento. A produção agropecuária do Estado foi avaliada em R$ 54,9 bilhões. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O crescimento projetado para o VBP de Minas, 6,72%, é bem superior ao nacional. Conforme o Mapa, o faturamento do setor no País foi estimado em R$ 515,2 bilhões, o que representa um aumento de 0,7% na comparação com 2015, quando a produção foi avaliada em os R$ 511,4 bilhões.

De acordo com a coordenadora da Assessoria Técnica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais, Aline de Freitas Veloso, a expectativa de colher uma safra de grãos recorde, o bom desempenho das lavouras de café e os preços das principais commodities em alta são fatores que contribuíram para a evolução do VBP mineiro.

O VBP das lavouras mineiras foi estimado em R$ 35,1 bilhões, elevação de 14% frente ao valor registrado em 2015, que foi de R$ 30,8 bilhões.

“A alta no VBP em Minas é pautado pelas lavouras. A última informação divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta para uma safra recorde de grãos no ciclo 2015/16, com um volume superior a 12,8 milhões de toneladas. Estamos colhendo a safra de milho e de soja e os preços dessas duas commodities estão bem mais altos que em período anterior, contribuindo para a elevação do VBP”.

Conforme os dados do Mapa, o VBP esperado para a produção de soja é de R$ 5,54 bilhões, valorização de 38,68% quando comparado com 2015. No caso da soja, além dos preços mais altos que os praticados no ano anterior, também é esperado incremento de 20% no volume a ser colhido.

A produção de milho, em Minas Gerais, foi avaliada em R$ 3,1 bilhões, aumento de 5,44% frente ao ano anterior. Os preços mais lucrativos pagos pelo cereal s&atilatilde;o fundamentais para o incremento. A saca de 60 quilos é negociada no Estado a preços acima de R$ 40, sendo que em igual mês de 2015 o mesmo volume estava cotado em torno de R$ 30.

O café total, principal produto do agronegócio de Minas Gerais, teve o VBP estimado em R$ 13,34 bilhões, alta de 23%. Somente a produção de arábica foi avaliada em R$ 13,2 bilhões, elevação de 23,19%. No caso do conilon é esperado incremento de 6,65% e VBP estimado em R$ 125,4 milhões.

“Após dois anos de perdas, ocasionada pela estiagem, esperamos colher uma safra maior de café, o que vem contribuindo para a evolução do VBP”, explicou Veloso.

Destaques – Resultados positivos também foram verificados no VBP da batata-inglesa, que foi estimado em R$ 2,45 bilhões, alta de 35,89%. O faturamento da produção de banana foi calculado em R$ 1,39 bilhão, alta de 23,4%.

O VBP do feijão pode encerrar o ano em R$ 1,5 bilhão, o que se confirmado significará uma elevação de 7,76%. O valor da produção de cana-de-açúcar alcançou R$ 4,77 bilhões, valor 1,54% superior ao de 2015. Para o algodão, a expectativa é de um VBP 7,43% superior, R$ 238,1 milhões.

Outro destaque é o trigo, cujo VBP será de R$ 169,3 milhões, alta de 3,78%. O produto tem grandes perspectivas de crescimento no Estado.

“A produção de trigo é crescente e estamos com perspectiva de ultrapassar 245 mil toneladas na safra atual, o que é muito positivo. O cereal em Minas tem algumas características favoráveis para se desenvolver, como a tecnologia especialmente desenvolvida para região do trigo tropical do Cerrado, a crescente articulação para comercialização da safra e o período de colheita, que antecede a do Sul do País”, explicou Aline.

Fonte: Diário do Comércio (Michelle Valverde)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *