Valor bruto da produção agropecuária deve ter recuo de 1,2% em 2016

Imprimir

O valor bruto da produção agropecuária (VBP) deve fechar o ano em R$ 501,4 bilhões, recuo de 1,2% ante 2015, quando o resultado ficou em R$ 507,4 bilhões, conforme cálculos divulgados nesta quinta, dia 18, pelo Ministério da Agricultura. As lavouras representam 65% do VBP total e apresentaram retração de 0,3% em comparação ao desempenho de 2015. A pecuária, com 35% do total, registrou recuo de 2,8%. 

A pasta informou, no entanto, que o número se trata de uma expectativa, baseada em informações ainda insuficientes para traçar um quadro mais completo. Por isso, alterações devem ocorrer ao longo de 2016.

O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento.

Entre os produtos com melhor desempenho destacam-se o amendoim (16,2%); banana (14,2%); cacau (10%); café (17,8%); mamona (19,8%); soja (11,8%); trigo (17,1%) e maçã (33,5%). A soja contribui com 37,5% do VBP das lavouras do país e representa um valor da produção estimado em R$ 122,2 bilhões.

O ministério informou ainda que vários produtos tiveram queda do VBP. Entre eles, os que apresentam maior redução, até o momento, são algodão herbáceo (-7,4 %); arroz (-10,2%); cana-de-açúcar (-11,3%); fumo (-15,7%); milho (-7,8%); laranja (-7,4%); tomate (-49,6%) e uva (-13,3%).
 
Em nota, a Secretaria de Política Agrícola, responsável pelo estudo, afirma que a análise do VBP mostra a importância crescente da soja no Norte do país, com destaque para Tocantins, Rondônia e Pará. A secretaria ainda avalia que o estudo indica que este ano se apresenta favorável para a maioria dos Estados brasileiros em termos de faturamento, o que pode ser atribuído à soja e ao café, sobretudo em Minas Gerais e Espírito Santo. 

Por regiões, o Sul foi responsável por R$ 148 bilhões do VBP; Centro-Oeste por R$ 134 bilhões; Sudeste por R$ 127,2 bilhões; Nordeste por R$ 49,4 bilhões e  Norte por R$ 29,8 bilhões. 

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *