Tese de doutorado defende uso da madeira do café para produção de bioenergia e carvão vegetal

Imprimir

Com intuito de defender a utilização da madeira oriunda do café espécie Coffea arabica para uso energético e para a produção de carvão vegetal, o professor do Instituto Federal Sul de Minas Campus Machado e discente Edson Rubens da Silva Leite, defendeu a tese de doutorado “Madeira e carvão de Coffea arabica L.: caracterização para uso energético”. O autor do trabalho, que teve como orientador o professor Sebastião Carlos da Silva Rosado, faz parte do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia da Madeira da Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Em seu trabalho, o discente enfatiza que a agricultura tem duplo papel em termos energéticos, ou seja, como consumidor e potencial fornecedor de bioenergia. Da geração de energia ao seu consumo final, a eficiência energética significa a busca por melhoria constante na utilização dos insumos energéticos.

Segundo ele, para o produtor significa a utilização racional e inteligente da energia, o que implica na diminuição de custos para, por exemplo, a secagem de grãos, além de gerar uma nova oportunidade de renda, como por meio da produção de carvão vegetal de uso siderúrgico e/ou doméstico com a madeira oriunda da renovação dos cafezais.

O trabalho alerta ainda os pesquisadores e produtores para os desafios, oportunidades e avanços da tecnologia da bioenergia cafeeira. Sugere que a madeira, conhecida como lenha, como um valioso subproduto da cafeicultura e que pode ser essencial para independência energética das fazendas.

Durante a pesquisa, o professor Edson avaliou diferentes sistemas de cultivo (convencional, orgânico e natural agroflorestal) de duas cultivares (Catuaí e Mundo Novo). Os resultados científicos indicaram que o sistema convencional associado a cultivar Catuaí apresentou elevado potencial para produção de bioenergia por meio da combustão direta ou para produção de carvão vegetal de qualidade.

O curso de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia da Madeira, do qual o professor Edson faz parte, foi recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em reunião do Conselho Técnico Científico de 7/6/2006, possui os níveis de mestrado e doutorado stricto sensu em duas áreas de concentração e nove linhas de pesquisa, tendo a madeira como tema central das pesquisas.

Fonte: Pólo de Excelência de Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *