Show Tec começa com café valendo R$ 500 a saca

Imprimir

Começou hoje, em Guaxupé, o Show de Tecnologia em Agronegócios (Show Tec) promovido pela Cooxupé. A ideia é oferecer, ao cooperado, a oportunidade de investir na próxima safra de café, pagando em número de sacas, que podem ser entregues em setembro.

O conjunto de uma derriçadeira e roçadeira, equipamentos considerados de grande utilidade para o pequeno produtor, está sendo vendido a R$ 1.550,00. Com a saca valendo R$ 500 (padrão RA 1, com 15% de catação), o cooperado tem condições de fazer esta compra com apenas três sacas de café. Um dos expositores destacou que o mesmo conjunto era vendido a R$ 1900,00 o ano passado, quando a saca valia em torno de R$ 270,00. Por esta razão, grande parte dos expositores presentes ao Show Tec – são 70 no total – esperam dobrar as vendas este ano.

Até às 15 horas, a Cooxupé havia registrado 3.400 visitantes. A expectativa é superar os 8 mil nos três dias do Show Tec, que vai até sexta-feira, 18 e apresenta novidades não só em café como no setor de grãos. A entrada é gratuita. A feira está montada na entrada da cidade de Guaxupé, em frente à torrefação da Cooxupé e funciona das 8 às 18 horas.

CAUTELA NO PLANTIO

O recado dado pelo presidente da Cooxupé, Carlos Paulino, na abertura oficial do Show Tec, foi claro: “aproveitem a oportunidade para efetuar bons negócios, mas tenham cautela nos novos plantios de café.” A mensagem foi reforçada pelo jornalista João Batista Olivi, do Canal Rural, que divulga o evento ao vivo. “As expectativas são boas, mas não se sabe até quando os bons preços vão persistir. Portanto, nada de euforia!.”

Outra questão abordada na abertura da feira da Cooxupé foi o Código Florestal Brasileiro. O novo texto, elaborado pelo deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB) deve ser votado na segunda quinzena de março. “Devemos nos unir para que a votação aconteça e as mudanças sejam aprovadas. Caso contrário, os pequenos produtores serão massacrados”, destacou Olivi. O presidente Carlos Paulino complementou: “se preciso, vamos nos mobilizar para ir a Brasília. Temos que mostrar a força da classe produtora, que não pode ficar na ilegalidade”. Se até 11 de junho não houver definição sobre o novo Código Florestal, o atual passa a vigorar como lei e milhões de brasileiros terão sérias restrições em continuar produzindo.

* Silvia Elena do Carmo Marques – MTb 17.809  
Fonte: Assessoria de Imprensa Cooxupé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *