Santos exporta 87% do café brasileiro no primeiro semestre

Imprimir
O Porto de Santos foi responsável por 87,1% das exportações de café brasileiro no primeiro semestre deste ano. No total, foram embarcadas mais de 12,9 milhões de sacas de 60 quilos da commodity no complexo santista. Já o volume total exportado no País chegou a 19,4 milhões de toneladas no período.

As informações fazem parte do relatório divulgado ontem pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). O material aponta ainda que 188 navios transportaram o café do Brasil, uma média de 31 embarcações por mês. Já quando se analisa o transporte da commodity por contêineres, o volume é de 41.347 TEU (unidade equivalente a um cofre de 20 pés).

Com relação às exportações brasileiras do produto, no primeiro semestre deste ano, houve um decréscimo de 8,4%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Por outro lado, a receita obtida com as vendas do produto no primeiro semestre deste ano registrou um aumento de 8,2%, chegando a US$ 2,6 bilhões.

No primeiro semestre, o preço médio do café foi de US$ 173,50, um incremento de 18,1% na comparação com mesmo período em 2016, quando a média foi de US$ 146,88.

“Vale destacar a evolução do segmento, que nitidamente fica cada vez mais estruturado para o futuro. O Cecafé vai continuar a atuar para aprimorar cada vez mais as sinergias entre todos os segmentos do agronegócio do café, tendo em vista o respeito e pleno atendimento das necessidades e exigências do consumidor final, nosso objetivo primordial”, destacou o presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes.

Além de Santos, o porto do Rio de Janeiro aparece na sequência, com 9,2% dos embarques, cerca de 1,3 milhão de sacas. Já Paranaguá (PR) surge na terceira posição, com o escoamento de 229.914 sacas, o equivalente a 1,5% do café brasileiro.

Café exportado no País chegou a 19,4 milhões de toneladas entre janeiro e junho (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Safra

No ano safra, que começou em julho do ano passado e terminou em junho último, o Brasil exportou cerca de 32,9 milhões de sacas de café. Como resultado, a receita obtida foi de US$ 5,6 bilhões, acréscimo de 5% em relação ao período anterior.

“Se somarmos esse volume às cerca de 20 milhões de sacas para consumo interno, temos um total de 53 milhões de sacas de café brasileiro, o equivalente a um terço do consumo total mundial. Neste momento, nossa atenção se volta para a entrada da safra 2017-2018, que deve recuperar a normalidade de performance do Brasil, principalmente ao longo dos próximos seis meses”, acrescenta

Os cafés diferenciados (especiais ou gourmet) atingiram 4,8 milhões de sacas no ano safra. Já no acumulado do ano civil, entre de janeiro e junho de 2017, esses cafés registraram 2,1 milhões de sacas.

Destinos

Neste período, os Estados Unidos mantiveram a liderança do consumo do café brasileiro com a compra de 6,4 milhões de sacas, correspondendo a 19,5% do total. Na sequência, a Alemanha aparece com 5,8 milhões de sacas importadas, o equivalente a 17,9% do produto exportado.

A lista ainda conta com a Itália, que adquiriu com 2,9 milhões de sacas do café brasileiro, 9,1% do total, com o Japão com 2,3 milhões de sacas compradas (7,1%), e Bélgica com 1,9 milhão de sacas (5,9%).

Fonte: A Tribuna Online (Por Fernanda Balbino)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *