Região da Serra da Mantiqueira de MG produz o melhor café natural do Brasil

Imprimir

O melhor café natural da safra 2011 do Brasil é produzido na Região da Serra da Mantiqueira de Minas Gerais. Trata-se do lote do produtor Luiz Flávio Pereira de Castro, proprietário do Sítio Colinas, em Carmo de Minas (MG), que obteve 91,656 pontos (em uma escala de 0 a 100) no primeiro Cup of Excellence – Natural Late Harvest. O concurso inédito, destinado aos cafés naturais, foi realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA, sigla em inglês), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE).

Das 38 amostras classificadas para a fase internacional, 19 mantiveram notas superiores a 85 pontos e se consagraram como vencedoras do concurso. Para a realização do Natural Late Harvest, a organização elevou a nota de corte na fase internacional, com o objetivo de comprovar a qualidade dos cafés naturais brasileiros.

"Os certames do Cup of Excellence em todo o mundo consideravam como cafés especiais os que obtêm nota superior a 84 pontos na escala de zero a 100 pontos do concurso. A partir do Natural Late Harvest, essa nota foi elevada para 85 pontos e nossos cafés corresponderam à expectativa, com 19 amostras vencedoras", explica Silvio Leite, juiz principal do certame.

Segundo o presidente da BSCA, Luiz Paulo Dias Pereira Filho, a realização de um concurso destinado exclusivamente a cafés naturais no País era um antigo sonho da entidade. "Os cafés naturais, que são colhidos e secos com a casca, proporcionando doçura acentuada e maior sensação de corpo à bebida, representam entre 85% e 90% da produção nacional", explica. "Era vital tomarmos uma iniciativa para difundir, em nível global, a excelente qualidade desses grãos. Com a realização desse concurso, pudemos mostrar aos compradores de todo o mundo que nossos cafés naturais são especiais e podem agradar a todos os paladares", completa.

O júri internacional do Cup of Excellence – Natural Late Harvest foi constituído por degustadores e classificadores das principais empresas compradoras de café do mundo, originários da Europa, América do Norte, Ásia e Oceania.

A diretora-executiva da BSCA, Vanusia Nogueira, destaca o reflexo que os investimentos em qualidade e, especialmente, na certificação de cafés vem trazendo aos produtores. "Dos 19 vencedores, 14 são da Região da Serra da Mantiqueira de Minas Gerais. Além disso, temos que destacar o trabalho do governo mineiro em prol dos cafés do Estado, haja vista que nove lotes são certificados pelo programa Certifica Minas Café", enumera.

Os demais vencedores são oriundos da região do Vale da Grama, em São Paulo (dois lotes), e do Sul (dois lotes) e do Cerrado (um lote) de Minas Gerais. O resultado completo pode ser conferido no site da BSCA.

Cafés Presidenciais

A tabela mundial de classificação dos concursos Cup of Excellence considera os cafés que obtêm notas superiores a 90 pontos como presidenciais. E os naturais produzidos no Brasil se sobressaíram nesse ponto, com os quatro primeiros colocados do Natural Late Harvest obtendo esse status. "Aos poucos, estamos passando ao mundo a mensagem de que, além de quantidade, o Brasil produz cafés com qualidade excepcional. E termos quatro cafés presidenciais reflete o trabalho que os produtores brasileiros vêm realizando nesse sentido", enaltece Vanusia.

O juiz principal do concurso, Silvio Leite, anota que os jurados ficaram impressionados com a qualidade apresentada pelos cafés finalistas do certame como um todo. "As observações apresentadas foram as melhores possíveis. Tivemos cafés excelentes e, de fato, os presidenciais se sobressaíram na opinião do júri internacional, o que nos leva a crer em um bom resultado no leilão dos vencedores", estima.

Leilão internacional
No dia 14 de março de 2012, o Brasil volta a ser o centro das atenções dos principais compradores de cafés especiais de todo o mundo. Na ocasião, os 19 lotes vencedores do Natural Late Harvest serão ofertados, através da internet, no leilão Cup of Excellence. "Muitos compradores internacionais já focam o mercado de cafés naturais do Brasil, como os asiáticos, o que nos leva a crer em acirrada disputa e bons preços a serem pagos", projeta o presidente Luiz Paulo.

O primeiro concurso de qualidade para cafés naturais do Brasil contou com o apoio institucional da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), do Centro de Excelência do Café do Sul de Minas (CEC – Sul de Minas), do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (CeCafé), do Conselho Nacional do Café (CNC) e da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul), que também patrocinou o evento. A auditoria ficou a cargo da IMO Control do Brasil.

A etapa de pré-seleção e a fase nacional do concurso foram realizadas no CEC – Sul de Minas, em Machado (MG). Já a fase internacional ocorreu na Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha, com o anúncio dos vencedores e a cerimônia de premiação sendo realizados no Lagamar Resort Hotel, também em Varginha (MG).

Fonte: Associação Brasileira de Cafés Especiais (Paulo A. C. Kawasaki)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *