Redução da área produtiva preocupa empresas exportadoras de café

Imprimir

Preocupadas com a recente queda de produção de café, empresas exportadoras e torrefadoras da região sul do país enviaram representantes e estagiários universitários a Rondônia para uma visita cultura cafeeira local. Mas, segundo o extensionista da Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater), Benedito Pereira Alves, não há motivos para preocupação. “Rondônia continuará produzindo”, afirma.

Em 2011 houve uma queda de, aproximadamente 40% da produção cafeeira em comparação à safra a 2010. Em algumas áreas o abortamento de frutos, devido à falta de chuvas na época certa, pode provocar uma redução de safra de até 50% em relação ao ano anterior, explica Benedito que é responsável pela orientação das organizações de produtores para a qualidade e comercialização do café.

Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), referentes à produção brasileira de café, mostram que, no ano de 2011 foram produzidas aproximadamente 43 milhões de sacas. Uma queda de 10,4% se comparado as 48 milhões de sacas colhidas em 2010 e a área produzida apontou uma redução de 0.5%. A explicação é a bianulidade negativa que acometeu o ano, ou seja. Ano sim, ano não, como os agricultores se referem à diferença entre anos de baixa e alta.

Segundo as projeções da OIC (Organização Internacional do Café), publicado na página do Sistema Brasileiro do Agronegócio (SBA), “a produção mundial de café deve cair na safra 2011/12, ficando novamente abaixo da expectativa de consumo (…) A estimativa é que sejam colhidos 128,56 milhões de sacas, 3,4% a menos que em 2010/11”.

Em Rondônia, diz Benedito, “a produção de café em 2012 deverá aproximar-se de um milhão e meio de sacas”. Ele explicou aos estagiários visitantes que Rondônia vai continuar produzindo café e com qualidade e que, mesmo que alguns agricultores estejam diminuindo sua área plantada, a produção será mantida. Como exemplo mo extensionista citou que uma área de dez hectares de café produz 100 sacas, mas que uma área de três hectares, bem conduzida, pode produzir as mesmas 100 sacas. “Tudo é questão de tratos culturais”, diz.

Para isso o governo do estado de Rondônia, através da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Regularização Fundiária (Seagri), tem investido forte e, desde o ano passado, tem oferecido aos agricultores, através dos extensionistas da Emater, um programa de tecnificação e diversificação da cultura cafeeira, denominado: "Sistema de Condução de Cafeeiro (poda)”. Para desenvolver esse programa foram capacitados 151 técnicos da Emater em diversos municípios e através do Fundo de Apoio a Cafeicultura (Funcafé), implantadas unidades demonstrativas utilizando-se o Sistema proposto.

Os visitantes ficaram satisfeitos como que viram, mas para o extensionista Benedito Alves, “manter e aumentar a produção cafeeira no Estado depende do esforço e da boa vontade de todos”.

Fonte: Emater

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *