Ratos silvestres atacam cafezal em Monsenhor Paulo

Imprimir

Ratos silvestres provocaram um grande prejuízo em uma plantação de café de Monsenhor Paulo. Na fazenda de 48 hectares, metade dos 60 pés foi atacada e boa parte do café que seria colhido foi parar no chão.

Mesmo com toda a sua experiência, o produtor rural Ademar Pereira de Andrade, dono da fazenda, não conseguiu identificar o que tinha acontecido com a plantação. “Quando eu vi esse tanto de café no chão, contei para os apanhadores (de café) e para o meu filho, mas eles não acreditaram”, diz.

Segundo o engenheiro agrônomo da Emater Donizetti Couto, que descobriu a causa da queda dos frutos, o ataque de ratos silvestres em cafezais é raro e pode ter acontecido pelo descontrole ambiental provocado pela seca, que diminuiu as opções de alimentação dos animais.

Os ratos sobem até o alto do pé e comem a casca de frutos maduros, que caem no chão e sofrem um processo de fermentação que interfere na qualidade da bebida. Os animais também roem os galhos, o que podem provocar doenças por fungos.

A tentativa de controlar a incidência dos bichos com ratoeiras não deu certo e o produtor não pode usar veneno para não por em risco de contaminação outros animais que se alimentam dos ratos, como gaviões.

Segundo o técnico da Emater, o café atacado pelos ratos não é danoso ao ser humano e pode ser consumido. Mas por causa da queda da qualidade, o produto ficou desvalorizado e as sacas serão vendidas pelo preço abaixo do mercado.

Para evitar mais prejuízos, após a colheita, será aplicado fungicida para evitar que possíveis fungos que podem ter sido deixados pelos ratos entrem na planta.

Fonte: EPTV.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *