Produtores de café do Paraná recebem incentivos para obter certificação UTZ

Imprimir

A Empresa Interagrícola S.A. (EISA) tem sido parceira comercial dos produtores de café associados da Associação de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (ACENPP). Entre 2009 e 2010, a companhia já negociou com a ACENPP a compra de cerca de 4 mil sacas de cafés da variedade arábica, do tipo cereja descascado. O valor pago a cada uma das sacas varia entre R$ 290,00 e R$ 327,00. A última transação comercial aconteceu na primeira semana de maio e foram comercializadas quase 1,5 mil sacas de café.

O presidente da ACENPP, Luiz Fernando de Andrade Leite, lembra que a aproximação com a EISA ocorreu no ano passado, durante viagem realizada a cidade de Santos, São Paulo, onde se concentram a maioria dos exportadores de café do Brasil.

Interessada em fortalecer ainda mais a relação com os cafeicultores ligados à ACENPP, a EISA vai repetir no Paraná uma ação de incentivo que já beneficiou produtores de café das regiões: Mogiana Paulista (no nordeste do estado de São Paulo), Sul e Cerrado de Minas Gerais.

A EISA vai subsidiar, inicialmente para cinco associados da ACENPP, os custos da consultoria que orienta e prepara as propriedades para atender às normas, requisitos específicos e códigos de conduta que garantem a obtenção do selo UTZ Certified, um dos principais programas de certificação do café no mercado internacional.

O gerente comercial da EISA, Gustavo Moretti, conta que uma das propostas da empresa é incentivar que os produtores permaneçam na atividade e oferecer possibilidades para que os cafeicultores comercializem sua produção de forma mais profissional. “Estamos contribuindo com os custos do serviço da consultoria SKG, empresa que dará assessoria para que os produtores adaptem suas fazendas e sejam aprovados pela auditoria da UTZ Certified. As outras despesas da certificação, como a visita da auditoria e as adaptações nas propriedades, serão pagas pelos próprios produtores”, detalha.

O consultor do Sebrae/PR em Jacarezinho e gestor do Programa Cafés Especiais do Norte Pioneiro, Odemir Capello, ressalta que o incentivo da EISA e as recentes negociações de compra e venda de café são resultados do Primeiro Encontro de Comercialização de Café do Norte Pioneiro do Paraná, realizado em 23 de abril, no município de Santo Antônio da Platina.

“O fato de os cafeicultores estarem organizados numa associação, dedicarem-se à produção de cafés especiais e demonstrarem interesse em tornar a cafeicultura uma atividade cada vez mais profissional e rentável gera credibilidade no mercado e atrai excelentes oportunidades, como essa parceria com a EISA”, destaca.

Luiz Fernando de Andrade Leite explica que o processo de certificação dos 25 cafeicultores da ACENPP interessados ocorrerá em duas fases. “Selecionamos os cinco produtores que atingiram as melhores pontuações em um levantamento que identificou o nível de adaptação das propriedades para receber a certificação UTZ Certified. Esses receberão o acompanhamento da consultoria, para que já nesta safra, conquistem o selo UTZ Certified. Os outros serão certificados na safra do ano que vem”, sinaliza.

O presidente da ACENPP pontua que a demanda por cafés diferenciados vem aumentando muito nos últimos anos e que a Associação vem trabalhando para atender essa necessidade. “A demanda por cafés diferenciados com adição de atributos socioambientais vem aumentando de forma considerável em países consumidores da bebida, principalmente naqueles onde a população possui maior poder aquisitivo. Somente as certificações garantem que o café é produzido em conformidade com as exigências demandadas pelo mercado e pelos consumidores”, observa Luiz Fernando de Andrade Leite.

O consultor do Sebrae/PR lembra que entidade também vai auxiliar os cafeicultores interessados em obter a certificação e conta que o objetivo da conquista desse novo certificado é atestar a qualidade do café produzido, melhorar os processos produtivos e adicionar mais valor à produção.

“Realizaremos um diagnóstico personalizado em cada uma das propriedades do grupo interessado em obter a certificação UTZ. Após essa etapa, será desenvolvido um plano de ação individual com as indicações de melhorias, a fim de facilitar o processo de verificação e auditorias necessárias para a concessão da certificação”, detalha Odemir Capello.

Paralelamente às etapas necessárias para a obtenção da UTZ Certified, o Sebrae/PR em Jacarezinho vai promover um programa para capacitar cafeicultores do norte pioneiro em gestão de propriedades e disponibilizar consultores especializados para ajudá-los a implantar os conhecimentos aprendidos em suas propriedades.

Para Gustavo Moretti, o norte pioneiro do Paraná, região produtora de café localizada próximo a São Paulo, é muito promissora. “Consideramos que o norte pioneiro tende a crescer bastante por que tem um potencial bom para a produção de café de qualidade em grande escala. Notamos que a ACENPP está muito bem amparada pelas instituições parceiras e pelo poder público e isso nos dá segurança”, avalia.

O gerente comercial da EISA destaca ainda que os cafés com maior qualidade são muito valorizados no mercado. “A diferença de preço entre um café comercial e um de qualidade superior pode chegar a 50%. Isso significa a adição de R$ 50,00 ou até R$ 150,00 por cada saca de café vendida. Esse acréscimo faz muita diferença e beneficia muito o pequeno produtor. O segmento de cafés especiais, talvez seja o que mais cresce hoje no mercado do café. Nossos clientes têm procurado muito esse tipo de café”, comenta Gustavo Moretti.

Fonte: Sebrae Pr

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *