Produtor de café deve ter mais R$ 600 mi para estocagem, diz CNC

Imprimir

Os produtores de café deverão ter à disposição mais R$ 600 milhões do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) para financiar a estocagem do grão, cuja colheita deve se encerrar na primeira quinzena de setembro. Uma decisão nesse sentido já foi acertada pelo Conselho Deliberativo de Política Cafeeira (CDPC), órgão que reúne governo e iniciativa privada do setor. Falta agora aprovação do Conselho Monetário Nacional (CMN), que se reunirá no dia 30 de agosto. "O voto (para o CMN) já está pronto", informa o presidente executivo do Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro. O CNC reúne as principais cooperativas de café do País.

O executivo diz que os recursos serão suficientes para estocar cerca de 4 milhões de sacas de 60 kg. A expectativa é desovar o produto gradativamente no mercado, quando o consumo mostrar sinais de reação, favorecendo a rentabilidade do produtor. "Historicamente, as cotações melhoram no último trimestre do ano, com aumento da demanda estimulada pelo rigoroso inverno no Hemisfério Norte", estima Silas Brasileiro.

Conforme dados do CNC, até o momento, os recursos tomados pelos produtores já permitiram estocar 4 milhões de sacas (2 milhões com recursos do Funcafé, 1 milhão com recursos do Banco do Brasil e outro 1 milhão com recursos dos demais agentes financeiros, segundo dados levantados pela Febraban). "Estamos acertando com os bancos recursos adicionais que poderão totalizar R$ 1,8 bilhão para financiar a estocagem", comenta o executivo.

Silas Brasileiro observa que as cotações do café recuaram nos últimos dias por causa de especulação com o clima no Brasil. "O tempo seco das últimas semanas favoreceu a colheita e entrou muito café de uma vez no mercado", explica.

Ele considera, no entanto, que as chuvas de junho e julho prejudicaram a qualidade e o volume da safra. "Caiu muito café no chão e isso vai repercutir negativamente em qualidade e em volume", prevê Silas Brasileiro. "A safra deste ano deve alcançar 50 milhões de sacas, ou menos", calcula.

O mais recente levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) projeta a safra brasileira de café em 50,45 milhões de sacas. O CNC já encaminhou pedido à Conab para que promova um novo levantamento, o qual poderá confirmar as perdas causadas pelo clima adverso.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *