Preços têm potencial para subir ainda mais, segundo analise do banco Macquaire

Imprimir

As cotações do café robusta fecharam com alta forte na Bolsa de Londres, ontem, sustentadas por compras da indústria de torrefação e de especuladores. O contrato maio subiu 2,14%, para US$ 2.387 por tonelada, maior nível em dois anos e meio.

O mercado londrino acompanha o forte desempenho do arábica na Bolsa de Nova York, que acumula ganho de quase 90% nos últimos 12 meses, de acordo com o banco Macquaire, citado pela agência Dow Jones. Em Londres, o mesmo vencimento registra ganho de 65% no período.

De acordo com o banco, a apertada oferta de café sugere que os preços têm potencial para subir ainda mais. Essa percepção é corroborada pela diminuição sazonal da produção no Brasil neste ano e pelos baixos estoques, em especial nos Estados Unidos.

Ambos são, respectivamente, o maior produtor e o maior consumidor mundial do grão. Enquanto isso, outros fornecedores importantes, como o México, enfrentam problemas. O país pode ter a menor colheita em quase 20 anos por causa do clima desfavorável.

A safra escapou de geadas que atingiram as lavouras de milho no início deste mês, mas foram prejudicadas por chuvas fora de época e pelas baixas temperaturas. Com a maturação irregular e a predominância de cafezais antigos, a oferta local deve ser restrita neste ano. O México é o segundo maior produtor mundial de café arábica suave e lavado, depois da Colômbia.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *