Polícia Civil e MP realizam operação contra desvio de café em armazém de Três Pontas (MG)

Imprimir

A Polícia Civil cumpriu 14 mandados de busca e apreensão na primeira fase externa da Operação Ouro Verde, deflagrada na manhã desta terça-feira (13) nas cidades de Três Pontas, Varginha e Machado (MG). A ação foi realizada em conjunto com o Ministério Público e visa coibir desvios em um armazém de café no município.

De acordo com a polícia, as investigações começaram há aproximadamente seis meses após a denúncia de cafeicultores da cidade, de que sacas de café haviam desaparecido de um armazém. E durante o trabalho, “foram colhidos indícios da prática de outros crimes, tais como organização criminosa, falsidade ideológica e sonegação fiscal”.

Nas investigações, foram encontrados tickets de pesagem que comprovam a saída de caminhões do armazém. No dia 21 de janeiro, em duas viagens, foram retiradas mais de 30 toneladas de café. No dia 29, outras 15 toneladas. Tudo feito sem autorização dos produtores.

Além disso, empresas e pessoas jurídicas do ramo do comércio de café também estariam envolvidas no esquema de desvio.

Ao todo, conforme a Polícia Civil, foram desviadas cerca de 25 mil sacas de café, levando a um prejuízo de aproximadamente R$ 10 milhões.

Polícia Civil e MP realizam operação contra desvio de café em armazém Em Três Pontas — Foto: Reprodução EPTV Sul de Minas

Notas “frias”

A polícia divulgou ainda que a Receita Federal, que passou a integrar a força tarefa criada no curso das investigações, apurou que o esquema de sonegação utilizava empresas que emitiam “notas fiscais ideologicamente falsas para acobertar a compra de café sem nota ou sem origem”.

Segundo os dados da Receita Federal, essas mesmas empresas foram responsáveis pela emissão de R$ 1,5 bilhão em notas fiscais não regulares nos últimos quatro anos.

Medidas cautelares e próximos passos

De acordo com a Polícia Civil, buscando garantir que as vítimas possam recuperar parte ou até mesmo a totalidades dos valores desviados, foram bloqueadas contas bancárias e impostas restrições em veículos dos proprietários dos armazéns investigados.

As investigações continuam e agora buscam identificar outras pessoas envolvidas no esquema. Participam da operação 62 policiais civis e 14 servidores da Receita Federal , entre auditores e técnicos.

Fonte: EPTV e G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *