Peru passaria à frente da Colômbia na produção de café em sete anos

Imprimir

O Peru ocupa atualmente o terceiro lugar como produtor de café na América do Sul, mas em sete anos, poderia subir um degrau, passando à frente da Colômbia, estimou o presidente da Junta Nacional de Café (JNC), César Rivas.

"Cada vez nos encontramos muito próximos da Colômbia, já que, no ano passado, eles colheram um pouco mais de 6 milhões de sacas de 60 quilos, enquanto nós colhemos 5,21 milhões de sacas".

No entanto, essa subida dependerá se houver incentivo do Governo para que aumente os fundos do programa de reabilitação ou rejuvenescimento das plantações.

Mesmo assim, o setor cafeeiro deverá passar por altos e baixos. Nesse ano, colherá no país 15% a menos que em 2011, ou seja, 4,44 milhões de sacas. Esse comportamento obedece em certa medida às mudanças climáticas que afetam as zonas cafeeiras.

Ele disse que os mais de 160 mil produtores que existem atualmente no país investiram em fertilização, o que faz com que tenham menos recursos para ampliar cultivos, ainda que muitos deles não tenham podido fertilizar todas as suas fazendas.

No entanto, os preços internacionais estão caindo. Assim, na bolsa de Nova York, o quintal de café (saca de 46 quilos) estava em US$ 300 em 2011, enquanto hoje em dia está entre US$ 170 e US$ 180. Espera-se que, a partir de maio ou junho, esses valores melhorem e cheguem próximos a US$ 220.

Isso incide em um menor valor de exportação nesse ano, pois os 46 países que compram o café peruano – na Alemanha, esse produto representa 35% dos envios, nos Estados Unidos, 21% e na Bélgica, 11% -, somarão US$ 1,1 bilhão. No ano passado, as exportações de café chegaram a US$ 1,4 bilhão

Café orgânico – Por outro lado, a JNC disse que somente 66% da produção de café orgânico certificado estimado em 996,66 mil sacas em 2011, foram exportadas sob essas características aos compradores da Europa, Ásia e América do Norte. O volume de café orgânico exportado foi de 656,26 mil sacas, por um valor de US$ 245 milhões.

A reportagem é do http://gestion.pe, traduzida e adaptada pela Equipe CaféPoint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *