Peru deverá ter aumento de 111% na produção de café até 2025

Imprimir

A produção de café no Peru aumentará 111% entre os anos de 2011 e 2025 graças aos programas que o Ministério da Agricultura (Minag) desenvolve para apoiar os agricultores, estimou a Direção Geral de Competitividade Agrária (DGCA) do setor.

O especialista em café do DGCA, Jorge Figueroa, afirmou que a produção desse produto pode passar de 5,44 milhões de sacas de 60 quilos em 2011 para 11,5 milhões de sacas em 2025 se forem renovadas as plantações e se melhorar a produtividade. "Estamos gerando programas de apoio direto aos produtores com fundos de garantia, através do Banco Agropecuário (Agrobanco) para quem quiser rejuvenescer suas plantações".

Calcula-se que 60% dos hectares de café no país têm cultivos antigos, de forma que o Minag investiu 30 milhões de novos sóis (US$ 10,81 milhões) na primeira fase de rejuvenescimento dessas plantações. O Minag também trabalha em programas com os governos regionais para aumentar o número de hectares disponíveis para o cultivo de café.

Figueroa indicou que a projeção para 2025 é aumentar de 380 mil para 600 mil hectares de café no território nacional, estimativa moderada que o Minag pretende superar para aumentar o consumo interno e as exportações.

Durante sua apresentação na XV Convenção Nacional Café e Cacau: Líderes na inclusão social, Figueroa disse que o maior desafio não é aumentar a produção, mas sim, a produtividade do café. "Temos um déficit grande (em produtividade), porque a maioria dos produtores é pequena. O assunto é como aplicar tecnologia, insumos de boa qualidade, manejo da fazenda e capacitação. É algo que o ministério vai fazer". Ele disse que a meta para 2025 é alcançar uma produção de 19 sacas por hectare em média, quando atualmente, somente são produzidas 11,5 sacas por hectare.

Experiências como a dos agricultores de Tocache (San Martín), que aumentaram sua produtividade de 10 a 30 quintais (7,6 a 23 sacas de 60 quilos) em três anos graças às melhores práticas de cultivo, fertilização e poda, permitem crer que o objetivo pode ser alcançado. "Há produtores que colhem 46 a até 61 sacas, mas não são nem 5%. Então, pode-se chegar às 19 sacas por hectare". Ele também estimou um aumento de 60% no rendimento médio de sacas por hectare.

Ele disse que os hectares de café em Junín, Amazonas, Cusco, San Martín e Cajamarca representam 90% a nível nacional e que 30% dos produtores de café se encontram organizados em cooperativas, associações e outros. O Peru tem 60.000 famílias dedicadas à produção de café. A reportagem é do Andina, traduzida e adaptada pela Equipe CaféPoint.

Fonte: CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *