No Pará, alta no preço do café ultrapassou 14% em um ano, diz Dieese

Imprimir
Pesquisa do Dieese divulgada nesta segunda-feira (17) revelou que diante de sucessivos aumentos, o trabalhador do Pará precisou trabalhar uma hora e meia pelo menos para comprar 300 gramas de café em março deste ano. (Foto: Reprodução/TV Fronteira)
Pesquisa do Dieese divulgada nesta segunda-feira (17) revelou que diante de sucessivos aumentos, o trabalhador do Pará precisou trabalhar uma hora e meia pelo menos para comprar 300 gramas de café em março deste ano. (Foto: Reprodução/TV Fronteira)

Uma pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese-PA) nesta segunda-feira (17), em Belém, revelou que o café consumido pelos paraenses sofreu uma alta acumulada de 14,35% no último ano, superando a inflação calculada para o período, que foi de apenas 4,57%.

Segundo o Dieese, em março do ano passado, o quilo do café foi comercializado, em média, a R$ 18,81 em supermercados da capital. Já em dezembro do mesmo ano, o preço saltou para R$ 22,22. Em janeiro deste ano, o preço sobre o quilo do produto recuou, sendo vendido, em média, a R$ 21,44, e fechou o primeiro trimestre de 2017 vendido, em média, a R$ 21,51.

De acordo com o levantamento realizado pelo Departamento, a previsão de consumo mensal do café por trabalhador no Pará é de 300 gramas, assim, o gasto total mensal de consumo do produto em abril deste ano atingiu R$ 6,45 com um impacto em relação ao salário mínimo de 0,75%. Para adquirir o produto no mês passado, nas quantidades previstas na cesta básica, o trabalhador paraense teve que trabalhar uma hora e 31 minutos.

Fonte: G1 PA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *