Nestlé inaugura fábrica da Nespresso após crescimento nos EUA ultrapassar o da Europa

Imprimir

A Nespresso, maior marca de café em doses únicas da Europa, está abrindo uma fábrica na Suíça para produzir cápsulas especialmente desenvolvidas para os EUA, onde o crescimento das vendas está ultrapassando o de seu continente.

A Nespresso, que é de propriedade da maior fabricante de alimentos do mundo, a Nestlé SA, está registrando um crescimento de “dois dígitos altos” nos EUA, superando o crescimento de um dígito alto observado na Europa, disse o presidente do conselho da Nespresso, Patrice Bula, em entrevista, em Romont, na Suíça, onde a fabricante de café inaugurou seu terceiro centro de produção na quinta-feira.

“A expansão nos EUA está indo muito bem”, disse Bula. “Nós temos o crescimento que planejamos ter na Europa. É claro que há muito mais concorrência e é claro que se trata de um mercado mais maduro”. 

A Nespresso lançou no ano passado sua máquina de café VertuoLine, com doses de 230 mililitros, para o mercado norte-americano de doses únicas, avaliado em US$ 5 bilhões, para atrair esse público, que tem preferência por copos maiores de café. A fábrica de Romont será a única a produzir cápsulas para a VertuoLine, disse Bula. A Nestlé irá investir 300 milhões de francos (US$ 308 milhões) na fábrica de Romont e destinou 1,1 bilhão de francos para o aumento da produção da Nespresso na Suíça de 2002 para cá.

A VertuoLine ajudou a aumentar as vendas nos EUA porque é capaz de produzir canecas grandes de café, disse o CEO da Nestlé, Paul Bulcke, em uma entrevista. A rede tem mais de 400 butiques em todo o mundo, das quais 36 estão nos EUA.

“Os norte-americanos são consumidores diferentes”, disse Bulcke. “Eles bebem café expresso, mas em momentos especiais em restaurantes de alto nível”.

A Nespresso tem enfrentado concorrência de cápsulas compatíveis produzidas por rivais como a Mondelez International Inc. No ano passado a Nestlé fechou um acordo com a agência reguladora da concorrência na França para retirar os obstáculos para fabricantes de cápsulas alternativas para máquinas da Nespresso.

“As ações judiciais vêm diminuindo porque entramos em acordo com vários dos nossos concorrentes e também porque nós queríamos seguir em frente, assim como eles, em termos de concorrência e inovação”, disse Bula. “É difícil quando você está nesse processo. Para nós, isso é passado”.

Fonte: Bloomberg (Corinne Gretler)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *