N.Y. finalizou as operações nesta quarta-feira em alta

Imprimir

N.Y. finalizou as operações nesta quarta-feira, 01/09, em alta. Ganhos generalizados nos mercados de commodities, diante da depreciação do dólar frente a uma cesta de outras moedas, juntamente com a valorização expressiva das ações, impulsionaram as cotações levando a posição dezembro a atingir máxima de + 5,75 pontos fechando com +3,90.

O dólar encerrou o dia com queda de 0,51%, cotado a R$ 1,7470. Vários fatores associaram ao recuo da moeda americana nesta quarta-feira, o bom humor do mercado no exterior que não garante que tal ânimo vai persistir, juntamente com os resultados da balança comercial e fluxo cambial divulgados hoje, mostrando o enfraquecimento do comércio exterior e apontaram para a necessidade de eventuais medidas para evitar piora ainda maior no setor. Outro fator, foi a previsão de aumento de fluxo com a realização da capitalização da Petrobras ainda este mês.

O mercado operou na expectativa da divulgação no fim da tarde do preço do barril de petróleo que será utilizado na cessão onerosa, após reuniões previstas do CNPE e do Conselho de Administração da estatal. O preço vai definir o valor da capitalização e permitir projeções sobre o volume de recursos estrangeiros na oferta. O Banco Central comprou dólares com tax a de corte das propostas de R$ 1,7407. Em meio ao otimismo das bolsas de valores deflagrado pelo bom resultado de índices de atividade industrial na China e nos EUA, o dólar também recuou ante as principais moedas.

A exportação de café em agosto (22 dias úteis) alcançou 2,808 milhões de sacas, o que representa elevação de 17,5% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em termos de receita cambial houve aumento de 44,3% no período, para US$ 483,6 milhões, em comparação com US$ 335,2 milhões em agosto de 2009.

Os dados foram divulgados há pouco pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Quando comparada com o mês anterior, a exportação de café em agosto apresenta aumento de 27,5% em termos de volume, pois em julho passado foram embarcadas 2,203 milhões de sacas. A receita cambial foi 34,6% maior, considerando faturamento de US$ 359,3 milhões em julho.

As exportações de café da Índia entre janeiro e agosto subiram cerca de 57% frente ao mesmo intervalo do ano passado, para 204.519 toneladas, impulsionadas pelo aumento da produção local e por firme demanda. Os embarques do tipo arábica saltaram 66% nos oito primeiros meses de 2010, para 39.077 toneladas, enquanto os da variedade robusta cresceram 54% no período, para 112.027 toneladas, mostraram dados divulgados ontem pelo Conselho de Café.

A Índia deve produzir 289.600 toneladas no ano-safra 2009/10, acima das 262.300 toneladas registradas em 2008/09, de acordo com a entidade. O valor do volume de café exportado entre janeiro e agosto deste ano subiu para US$ 438,63 milhões, ante US$ 289,02 milhões no mesmo intervalo de 2009. A Índia, terceiro maior produtor de café da Ásia, exporta cerca de dois terços da produção doméstica principalmente para Europa, com Alemanha, Itália, Rússia e Bélgica respondendo por mais da metade da demanda geral. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Infocafé – informativo diário da Mellão Martini

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *