Minas Gerais quer sediar cinquentenário da Organização Internacional do Café em 2013

Imprimir

A Organização Internacional do Café (OIC) celebrará os cinquenta anos de sua fundação em 2013. Trata-se de um evento de grande magnitude e importância aos 77 países-membros da instituição e que compreenderá a realização de seminários e reuniões do Conselho Internacional do Café e órgãos subsidiários do organismo, cuja diretoria executiva é ocupada pelo brasileiro Robério Silva.

Ciente da posição do Brasil no mundo do café, ocupando a liderança dos rankings de produção e exportação e o segundo lugar no consumo da bebida, e, em especial, o papel destacado de Minas Gerais neste cenário, sendo responsável por metade da produção nacional, o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Elmiro Nascimento, após contatos com o as Comissões do Café da FAEMG e da CNA e com o Conselho Nacional do Café, entregou ao ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, pessoalmente, sugestão do governador Antonio Anastasia para que o Brasil, em especial o Estado de Minas Gerais, seja o anfitrião do cinquentenário da entidade máxima da cafeicultura, sediando as comemorações, reuniões e seminários previstos.

A sugestão do governador mineiro é que o convite seja feito ao longo da 109ª Sessão do Conselho da OIC, que será realizada em Londres, no período de 24 a 28 de setembro de 2012, e que definirá a programação oficial da celebração dos cinquenta anos da Organização. Para tanto, antecipadamente, Anastasia disponibiliza a estrutura estadual para a realização e o copatrocínio dos eventos em questão e coloca sua equipe à disposição do Governo Federal para tratar da matéria e dar início à programação de reuniões e eventos, caso se decida por sediá-los em Minas Gerais.

O CNC apoia e parabeniza o Governo de Minas Gerais por esta atitude, a qual, certamente, trará grande visibilidade para o Brasil, colocando o País em evidência internacional e transformando esta em uma oportunidade ímpar para que as demais nações cafeeiras, sejam produtoras ou importadoras, conheçam nosso parque cafeeiro e entendam que o Brasil está na vanguarda do setor por investir em pesquisas, tecnologia e, principalmente, na sustentabilidade ambiental, econômica e social das pessoas envolvidas com o café.

Fonte: Conselho Nacional do Café via Rede Social do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *