Minas Gerais conquista encontro da OIC em 2013

Imprimir

Belo Horizonte acaba de conquistar o direito de sediar o maior evento mundial do café. O encontro, em setembro de 2013, marcará o cinqüentenário da Organização Internacional do Café (OIC). O anúncio aconteceu na manhã desta segunda-feira (24/09), durante reunião do colegiado em Londres. Presentes no encontro, o presidente da FAEMG, Roberto Simões e o presidente das Comissões Técnicas de Café da Federação e da CNA, Breno Mesquita comemoraram a vinda do evento, após forte campanha encabeçada pela FAEMG e Governo de Minas. “Esta decisão reforça a importância do Brasil e de Minas para o setor cafeeiro global. E acontece em cenário muito favorável para o setor, que vive um excelente momento, com safra recorde em 2012”, explica Breno Mesquita.

Roberto Simões adianta que os preparativos para a realização da reunião daqui um ano já devem ter início nos próximos dias. “Conseguimos trazer o evento. Agora iremos trabalhar muito para que o mundo, através da OIC, conheça nosso Estado e descubra que Minas Gerais são várias cafeiculturas. Todas elas com suas peculiaridades e uma coisa em comum: a excelente qualidade de seus grãos”.

Maior produtor mundial de café, o Brasil ocupa lugar de destaque na OIC, que tem como diretor-executivo o mineiro Robério Silva. Integram a Organização 70 países-membros, dos quais 38 são exportadores e 32, importadores. Somados, os países membros representam 97% da produção mundial de café e mais de 80% do consumo mundial.

OIC 50 anos – Principal organização intergovernamental para o café, a OIC foi criada em Londres em 1963 como um braço da Organização das Nações Unidas (ONU), devido à grande importância econômica do grão. A missão da Organização é fortalecer o setor cafeeiro global e promover sua expansão sustentável em um ambiente baseado no mercado para o aperfeiçoamento de todos os participantes do setor cafeeiro. A organização busca promover o diálogo entre governos e o setor privado sobre condições de mercado, tendências e políticas públicas, fomentar o consumo e o desenvolvimento de mercado para o café, promover a qualidade do grão, a transparência do mercado e investir em programas de formação e informação para auxiliar a transferência de tecnologias relevantes para o setor.

Liderança mineira – No ano-safra 2012/2013, uma em cada cinco sacas de café consumida no mundo sairá de Minas Gerais. A OIC estima que a produção mundial atingirá 127,41 milhões de sacas. O Estado é responsável por mais de 52% da supersafra brasileira. Para a safra 2012 são esperadas 50,48 milhões de sacas, um crescimento de 16,1% em comparação com a anterior, conforme o terceiro levantamento realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Deste total, 26,63 milhões terão origem em Minas Gerais. Será a maior colheita nos 300 anos de cultivo do grão no país.

A liderança de Minas Gerais no cultivo do café está refletida na economia e qualidade de vida do Estado. O grão representa 7,8% do PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio mineiro. O Valor Bruto da Produção de Café em 2011 somou R$ 11,3 bilhões, com a saca comercializada a um preço médio de R$ 522,58. É cultivado em 607 dos 853 municípios do Estado, sendo a principal atividade econômica em 340.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SISTEMA FAEMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *