Mais embarques de café rendem menos até agosto

Imprimir

Entre janeiro e agosto, o Brasil exportou mais café em volume do que no mesmo período do ano passado, mas obteve uma receita menor, por causa da queda dos preços internacionais do grão. Nesse período, foram exportadas 19.688.309 sacas, alta anual de 13,3%, por US$ 3,467 bilhões, queda de 15,2%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira, 6, pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (CeCafé). 

Em nota da associação, o diretor-geral da entidade, Guilherme Braga, diz que “apesar de ser esperado para 2013 um acréscimo em torno de 7% do volume exportado em relação 2012, a redução no preço de venda do grão vem sendo prejudicial aos produtores. As medidas tomadas pelo governo para reduzir os impactos desta situação atendem apenas ao curto prazo e é necessário um planejamento que atenda as questões importantes do setor nos próximos anos.”

O mês de agosto registrou um volume de 2.558.537 sacas exportadas, valor 1,6% menor se comparado ao mesmo mês em 2012. Já a receita teve uma queda de 26,5% em relação à registrada agosto do ano passado, chegando a US$ 388,567 milhões.

Considerando a qualidade do café, o levantamento mostra que de janeiro a agosto de 2013 a variedade arábica respondeu por 84,8% das vendas do país, o solúvel por 10,6%, o robusta, por 4,5%, e o torrado & moído por 0,1% das exportações. Os cafés diferenciados (arábica e conillon) tiveram participação de 15,5% nas exportações em termos de volume e de 19% na receita cambial durante esses meses.

Mercados importadores

O relatório aponta também que, nesses oito meses, o principal mercado importador foi a Europa, responsável pela importação de 54% do total embarcado do produto brasileiro, enquanto a América do Norte respondeu pela compra de 23% do total de sacas exportadas, a Ásia por 18% e a América do Sul, por 3%.

As exportações brasileiras para os chamados Países Importadores Tradicionais tiveram um aumento de 14,4% nesse mesmo período. O Brasil também registrou crescimento 21,9% nas exportações para os Países Importadores Emergentes, considerando a mesma base comparativa. Os embarques do produto para os Países Produtores apresentaram uma queda de 35% em relação ao período anterior, passando de 771.647 sacas para 501.768 sacas.

Segundo o Balanço das Exportações, os Estados Unidos lideraram a lista de países importadores de janeiro a agosto de 2013, com 3.971.780 sacas adquiridas (20% do total exportado), seguido pela Alemanha, com 3.420.997 sacas (17% do total). A Itália ocupou a terceira colocação, importando 1.690.431 sacas do produto brasileiro (9%). Em quarto lugar ficou o Japão, com 1.673.518 sacas (9% do total). A Bélgica ocupou a quinta posição com 1.244.496 sacas (6% do total).

Os embarques de café acumulados até o oitavo mês deste ano foram realizados em grande parte pelo porto de Santos, que escoou 76,3% do produto exportado (15.030.414 sacas), pelos portos do Rio de Janeiro, que embarcaram 16,6% do total (3.264.665 sacas), e pelo porto de Vitória, de onde saiu 1,8% do total (362.833 sacas).

Fonte: DCI

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *