Índia: produção de café pode cair pela primeira vez em cinco anos

Imprimir

A produção de café na Índia, terceiro maior produtor da Ásia, poderá cair pela primeira vez em cinco anos, à medida que o clima seco na principal região produtora do país está atrasando a floração da colheita.

A produção de café robusta pode cair em pelo menos 10% a 15% no ano que começa em 1 de outubro, à medida que as chuvas pré-monções, que normalmente ocorrem no meio de fevereiro, não ocorreram nesse ano, disse o presidente da Associação de Exportadores de Café da Índia, Ramesh Rajah. O período de floração está atrasado em mais de um mês, disse ele.

Uma colheita menor pode reduzir as exportações da Índia, potencialmente aumentando 13% os ganhos nos preços do robusta na NYSE Liffe em Londres nesse ano. As ofertas globais ultrapassarão a demanda em 818.000 sacas em 2012-13, abaixo das expectativas atuais de mercado de 1 a 2 milhão de sacas, disse a Societe Generale SA em 20 de março.

"Uma menor colheita significaria que perderíamos nossa meta de exportação para o próximo ano", disse o membro do Conselho de Café da Índia, Anil Kumar Bhandari. "Muito dependerá do preço nos mercados internacionais quando o café da Índia for vendido".

As exportações de café da Índia deverão cair 15% nesse ano devido à desaceleração do crescimento econômico na Europa, maior mercado do país, disse Rajah. O país exportou um recorde de 346.850 toneladas em 2011. Os envios aumentaram 5%, para 99.423 toneladas entre 1 de janeiro e 28 de março.

A colheita nesse ano deverá ser de 320.000 toneladas, incluindo 103.725 toneladas de arábica e 216.275 toneladas de robusta. Um declínio no próximo ano seria o primeiro desde 2007-08, quando a colheita caiu para 262.000 toneladas, de 288.000 toneladas no ano anterior.

"Se não chover até 15 de abril, poderemos ter uma grande queda na produção total da colheita de robusta, bem como de arábica", disse Rajah.

As temperaturas no Estado de Karnataka, o maior produtor da Índia, estão 4 graus Celsius acima do normal nesse ano, disse Rajah. "A maior temperatura, somada ao clima seco, significa mais umidade perdida do solo, de forma que as plantas estão sentindo o estresse".

Fonte: Bloomberg, traduzida e adaptada pela Equipe CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *