Fiscais terão treinamento especial

Imprimir

 O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento vai enviar sete fiscais federais agropecuários para treinamento no manuseio de detectores de radiação, no Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD), no Rio de Janeiro. Marcado para a próxima terça-feira (19), o treinamento é uma medida cautelar de reforço à proteção dos fiscais que atuam na inspeção de bagagens acompanhadas nos aeroportos e no desembaraço de mercadorias importadas do Japão. O IRD é um órgão da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

O treinamento dos fiscais soma-se às ações adotadas pelo Ministério e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em decorrência do acidente na usina nuclear de Daiichi, em Fukushima, em 11 de março. Desde 1º. de abril, as mercadorias importadas do Japão têm de vir acompanhadas de certificado emitido pelas autoridades sanitárias locais atestando que não contêm radiação em nível superior ao admitido pelas convenções internacionais.

Além disso, a Anvisa e o Ministério da Agricultura coletarão aleatoriamente amostras dos produtos japoneses importados para análise no IRD ou no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), também vinculado  à CNEN. A fiscalização de voos provenientes do Japão será intensificada para garantir que viajantes não ingressem no Brasil com alimentos provenientes daquele país. Avisos sonoros nas aeronaves e nas salas de espera dos aeroportos reforçarão a orientação aos passageiros.

A importação de produtos agropecuários do Japão é pouco expressiva. No ano passado, foi da ordem de US 38,8 milhões, numa pauta global de US$ 13,4 bilhões. De acordo com Nota Técnica da CNEN, pequenas quantidades de alimentos, trazidas por passageiros em sua bagagem, não necessitariam de procedimentos especiais de controle além dos existentes, nem de cuidados especiais para descarte. Do mesmo modo, no manuseio das amostras não seriam necessários cuidados especiais, afora o uso de luvas descartáveis.

Participarão do treinamento fiscais dos portos de Manaus, Vitória, Rio de Janeiro e Santos, e dos aeroportos de Viracopos (SP), Galeão (RJ) e Guarulhos (SP). A CNEN deve colocar à disposição da fiscalização do Ministério dois detectores de radiação por unidade de trabalho.

Fonte: MAPA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *