Exportações dos Cafés do Brasil atingem 35,2 milhões de sacas com receita cambial de US$ 5,1 bilhões em 2018

Imprimir

cecafe_dezembro_2018

Cafés diferenciados somaram 6,2 milhões de sacas em 2018 com acréscimo de mais de 21% em relação ao volume de 5,1 milhões de sacas de 60kg exportado em 2017

Os Cafés do Brasil exportaram 35,230 milhões de sacas de café de 60kg em 2018, para 123 países, e atingiram US$ 5,09 bilhões de receita cambial com preço médio de US$ 144,53 por saca. O volume de café exportado em 2018 foi 13,9% superior ao volume de 2017, que foi de 30,926 milhões de sacas. A despeito dessa performance, a receita cambial no ano passado foi 3% inferior a de 2017, quando totalizou US$ 5,25 bilhões ao preço médio de US$ 169,76 por saca de café.

Com relação à participação por qualidade nas exportações brasileiras de café em 2018, os cafés verdes somaram 31,516 milhões de sacas, sendo 29,038 milhões de arábica e 2,478 milhões de robusta. E, os cafés industrializados, registraram aproximadamente 3,713 milhões de sacas vendidas ao exterior, das quais 3,695 milhões foram de café solúvel e 17,605 mil de sacas de café torrado e moído. Nesse contexto, constata-se a recuperação da seca e estiagem que atingiram as lavouras de café robusta em anos anteriores, tendo em vista o expressivo aumento das exportações dessa espécie de café que atingiu 2,478 milhões de sacas em 2018, sendo 738,3% superior ao volume de 295,623 mil sacas exportadas em 2017.

Esses números da performance das exportações brasileiras de café, entre outros dados relevantes do setor, constam do Relatório mensal dezembro 2018do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – Cecafé, que está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

De acordo com o Relatório do Cecafé, o volume exportado dos cafés diferenciados, os quais têm qualidade superior ou algum tipo de certificado de práticas sustentáveis, foi de 6,227 milhões de sacas em 2018, que geraram receita cambial de US$ 1,12 bilhão, montante que corresponde a 22,1% das receitas auferidas com o café. Vale salientar que esse volume exportado apresentou incremento de 21,3% em relação às exportações de cafés diferenciados em 2017, cujo volume foi de 5,134 milhões de sacas. Esse desempenho corrobora com resultados da Pesquisa Safra Cafeeira 2018, a qual foi objeto de análise do Observatório do Café intitulada ‘Pesquisa constata melhoria significativa da qualidade dos Cafés do Brasil’.

Quanto ao consumo mundial de café, o Cecafé apresenta projeção que indica, com base nos dados da Organização Internacional do Café – OIC, que o volume consumido em 2030 deverá ser de 197,50 a 222,16 milhões de sacas. Se a estimativa do ponto médio projetado se confirmar, serão consumidas 209,49 milhões de sacas no mundo. Nesse caso, pode-se inferir que para os Cafés do Brasil manterem sua participação nas exportações mundiais de 28,1%, será necessário que nosso País venda ao exterior 58,86 milhões de sacas em 2030.

Além desses destaques, o  Relatório mensal dezembro 2018 traz ainda vários dados, informações e análises sobre as exportações brasileiras de café, participação percentual por qualidade nas exportações, exportações de cafés diferenciados, exportações de café por continente, grupo e bloco econômico, os principais destinos e portos de embarque das exportações, perfil do consumo mundial de café, projeção do consumo mundial de café para 2030, participação brasileira nas exportações mundiais de café, séries estatísticas e artigo com Balanço do Cecafé nas áreas de Responsabilidade e Sustentabilidade em 2018, entre várias outras análises que merecem ser conferidas pelos diversos segmentos que têm interesse no setor cafeeiro nacional.

Cecafé – O Conselho dos Exportadores de Café do Brasil é uma das instituições integrantes do Conselho Deliberativo da Política do Café – CDPC, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa. O CDPC é composto pelas seguintes instituições: Cecafé, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA, Conselho Nacional do Café – CNC, Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC, Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel – ABICS, Mapa, Ministério da Fazenda – MF, Ministério das Relações Exteriores – MRE, Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços – MDIC e Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão – MPOG. Compõem o CDPC/Mapa, os seguintes Comitês Diretores: Comitê Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Café CDPD/Café; de Planejamento Estratégico do Agronegócio Café – CDPE/Café; de Promoção e Marketing do Café CDPM/Café; e do Acordo Internacional do Café CDAI/Café. E a Embrapa Café, que também tem por finalidade contribuir para formulação de políticas públicas do setor, faz parte oficialmente desses quatro colegiados do agronegócio café no Mapa.

Visite o site do Observatório do Café para ler na íntegra o Relatório mensal dezembro 2018 pelo link:

http://www.sapc.embrapa.br/arquivos/consorcio/informe_estatistico/CECAFE_Relatorio_Mensal_Dezembro_2018.pdf

 

Confira as ANÁLISES (Análises e notícias da cafeicultura) divulgadas pelo Observatório do Café no link abaixo:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/noticias 

Acesse o Clipping do Observatório do Café – 2018 pelo link:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/clipping/853-clipping-2018 

Acesse também as publicações sobre café e portfólio de tecnologias do Consórcio Pesquisa Café:

http://www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/publicacoes/637

Chefia Adjunta de Transferência de Tecnologia da Embrapa Café

Texto: Jamilsen Santos – MTb 11015/DF e Thiago Cavaton

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *