Exportação de café já é maior que a de 2010

Imprimir

O ano de 2011 ainda não terminou e já foram exportadas pelo Porto de Vitória mais sacas de café do que todo o volume de 2010. O recorde foi quebrado no fim de outubro, quando a quantidade do grão enviada pelo Espírito Santo desde janeiro deste ano atingiu 4.878.400 sacas, somando uma receita de US$ 871.243.358,46, valor quase 37% superior ao do ano passado, segundo o Centro do Comércio de Café de Vitória (CCCV).

No mês de outubro, o complexo portuário de Vitória enviou para o exterior 326.370 sacas de café arábica, 215.046 de conilon e 15.273 de café solúvel, totalizando 556.689 sacas. A receita gerada no mês foi de US$ 109.931.005,02 e o preço médio da saca de 60 kg foi US$ 197,47, sendo US$ 239,02 o valor médio da saca de arábica, US$ 135,66 de conilon e US$ 179,78 o café solúvel. Comparando as exportações do Espírito Santo com o volume total exportado pelo Brasil, enquanto no Estado os embarques cresceram 19% no mês de outubro de 2011 em relação ao mesmo mês do ano passado, os embarques do Brasil caíram cerca de 11% no mesmo período.

Outro recorde alcançado pelo Estado foi na exportação do café conilon. O Espírito Santo já exportou este ano 2.339.968 sacas da espécie do grão, superando em mais de 100% o volume de 2010, que foi de 1.081.048 sacas. Luiz Polese, presidente do CCCV, destaca que o café conilon cresceu não somente em quantidade produzida, que aumentou 213% nos últimos 15 anos, mas também em qualidade.

"O conilon é o carro-chefe da produção cafeeira no Espírito Santo, pois ele é plantado em áreas abaixo de 400 metros de altitude,característica do relevo capixaba. Produzimos 65,2% do conilon nacional, mas a exportação era pequena. Em 2010, colhemos 7,35 milhões de sacas e exportamos pouco mais de um milhão. Com a conscientização do produtor de café conilon sobre a qualidade de sua produção, a melhoria do grão despertou o interesse nacional e internacional pelo nosso café, aumentando a exportação em mais de 100% em relação a 2010", destaca o presidente do CCCV.

Polese afirma que o setor tem alcançado bons resultados nas exportações mesmo com algumas limitações estruturais do Porto de Vitória: "Temos um canal de acesso que não permite a entrada de navios maiores. Parte do nosso café sai daqui para ser exportado pelos portos de Santos e do Rio de Janeiro. Acreditamos que as obras em curso, de dragagem da baía de Vitória e de ampliação da infra-estrutura portuária, darão melhores condições para que o setor reforce a posição do Estado de segundo maior exportador de café do país", ressalta Polese.

Em 2011 o preço médio de exportação do café capixaba também teve grande crescimento. O valor médio da saca de café saltou de US$ 137,05 em 2010 para US$ 178,59 no acumulado deste ano, com destaque mais uma vez para o conilon, cujo preço médio até outubro de 2011 está em US$ 140,09, contra a média de US$ 101,79 do ano passado.

Devido à boa fase da espécie do grão no Estado, Polese afirma que tudo indica que este ano ficará marcado pelo maior volume de conilon já exportado e um dos maiores valores em dólares movimentados da história do Espírito Santo.

As empresas capixabas exportam para 45 países dos cinco continentes e o desempenho do Espírito Santo na cafeicultura nacional contrasta com o tamanho de seu território. "Representando apenas 0,5% do território nacional, o Espírito Santo é o segundo maior produtor e segundo maior exportador de café do Brasil. Se fôssemos um país, seríamos o terceiro maior produtor de café do mundo, atrás somente do Brasil e do Vietnam, superando tradicionais produtores como a Colômbia, por exemplo" afirma Polese.

Fonte: As informações são do Portal Fator Brasil, adaptadas pela Equipe CaféPoint.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *