Estudo reforça cultivo de café de base ecológica

Imprimir

Estudo desenvolvido na Embrapa Café, empresa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), promove o controle de plantas daninhas usando leguminosas herbáceas consorciadas com a cultura do café. A tese de doutorado foi apresentada pelo pesquisador Julio Cesar Freitas Santos, na Universidade Federal de Viçosa (UFV).

O trabalho confirmou a possibilidade do cultivo de leguminosa, como lablabe, sirato, híbrido de Java ou amendoim forrageiro, fazer parte do manejo integrado da lavoura cafeeira. A tecnologia consiste em utilizar uma dessas leguminosas herbáceas como cobertura viva de solo.

Em dois anos de avaliação das leguminosas, o pesquisador observou que elas não influenciaram o crescimento vegetativo e a produtividade do café. Em meio a técnicas convencionais que utilizam práticas de capina com enxada ou roçadas mecanizadas para controle das plantas daninhas, a pesquisa comprovou que a adoção das leguminosas como parte do manejo integrado, é uma alternativa adequada às demandas de cafés de base ecológica, certificados e especiais pelo mundo.

A pesquisa foi realizada na Zona da Mata e na Região do Cerrado e também está adequada aos interesses da agricultura de baixo carbono, pois limita o uso de produtos químicos (herbicidas) na lavoura, permite a recuperação de áreas e o aumento da área de vegetação entre cultivos perenes como café.

As leguminosas são coberturas vivas que contribuem para boas práticas agrícolas. Elas também podem ser utilizadas como cultivos intercalares com as culturas de arroz e feijão, que geralmente acontece em algumas lavouras.

Fonte: Revista Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *