Estudante vai rodar o mundo bebendo café e discutindo Arquitetura

Imprimir

Felipe na Alemanha, ao lado de um menino que conheceu por lá

A barba garante seriedade ao menino que aos 22 anos está prestes a sair pelo mundo discutindo Arquitetura e bebendo café.

A proposta é simples, encontrar pessoas em países desconhecidos, convidar para uma conversa na cafeteria mais próxima e descobrir como elas vivem. Uma fórmula criada por Felipe Lima a ser aplicada pela Europa, durante 3 meses.

“Do you speak coffee?” ou “Habla Café” (o nome do projeto) é a pergunta bem conceitual que dará início ao bate-papo por aí. “Já viajo há algum tempo e percebi que o café está em todos os lugares. Por isso a ideia”, diz o estudante de Arquitetura.

O próximo ano será de conclusão do curso, mas antes ele quer ganhar o mundo, começando pela Inglaterra. Em cada cidade, pretende conhecer pessoas de diferentes áreas profissionais, classes sociais, com perfis distintos, para entender como vivem e como a Arquitetura pode melhorar a rotina de cada personagem eleito por ele.

“Quero ouvir e depois ajudar, apresentando propostas para melhorar a casa onde moram, mostrar a importância da Arquitetura. Não vou quebrar a casa de ninguém, só desenhar uma nova organização e também aprender novas fórmulas que dão certo”, detalha Felipe.

O rapaz sempre teve o pé na estrada. A profissão do pai provocou várias transferências pelo Brasil. Há 3 anos a família está aqui em Campo Grande, cidade que, de um jeito torto, reforçou o desejo de Felipe ser arquiteto no verdadeiro sentido.

“Aqui em Campo Grande descobri um mercado com muita vaidade. Os profissionais querem competir um com o outro, disputar para ver quem faz mais bonito, ganhar dinheiro apenas. As viagens abriram meu olhar para muitas coisas e quero ser um profissional diferente”.

Uma das inspirações ele encontra no dinamarquês Jan Gehl, grandes urbanistas da atualidade que combate qualquer tipo de ostentação arquitetônica que não sirva ao bem estar das pessoas,

Hoje ele já apresenta o projeto a outros estudantes, com convites de SP, MG e DF

O projeto é tão inspirador que o menino já foi convidado para palestras em universidades de São Paulo, Belo Horizonte e Brasilia.

Para um rapaz que sempre teve a tranquilidade financeira em casa, pensar em um projeto assim é mais fácil. Mas a última aventura de mochila, pela América do Sul, deu ainda mais segurança ao estudante. “Descobri que a gente consegue viajar com muito pouco”.

As passagens de ida e volta para Londres foram garantidas pelo pai, mas o resto será bancado por Felipe. Nos últimos meses, ele tem feito alguns estágios e recorreu ao “Cartase’, site de financiamento coletivo, uma plataforma criada para bancar projetos criativos, de maneira colaborativa.

Felipe quer R$ 8.7 mil, mas só conseguiu R$ 1.4 mil até agora. São doações feitas pelo site à ideia do rapaz, de pessoas que acreditam  na proposta e querem simplesmente colaborar. A cota pode ser de R$ 10,00 e até R$ 2 mil. “Mas se eu não atingir o que foi definido, não levo nada e quem doou recebe o dinheiro de volta”, explica.

A arrecadação vai até o dia 10 de dezembro, mas antes mesmo Felipe embarca para o desafio. Em 29 de novembro ele começa a registrar tudo, em fotos, vídeo, textos, que serão postados no site do Habla Café e nas redes sociais.

Mesmo sem o dinheiro que esperava, ele vai encarar a viagem e depois já pensa em fazer o mesmo na Ásia. “Vai acontecer de qualquer jeito”, promete Felipe.

Fonte: Campo Grande News

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *