Estoques de café conilon serão checados pela Conab neste mês

Imprimir
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou que, entre os dias 2 e 13 de janeiro de 2017, técnicos da Superintendência de Fiscalização de Estoques (Sufis) da mesma farão uma vistoria nos estoques privados de café conilon no Espírito Santo e na Bahia. Os estados responsáveis por 63% e 10,3% da produção nacional, respectivamente. O objetivo é verificar o volume disponível do produto para comercialização.

A medida segue orientação dado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que em dezembro passado decidiu suspender decisões sobre a importação de café conilon verde e verificar quanto café ainda há nos estoques brasileiros. Ao CaféPoint, o Mapa informou, à época, que iria “constituir um Grupo de Trabalho coordenado pela Conab para fazer o levantamento dos estoques físicos do café conilon nas cooperativas, armazéns privados e produtores rurais”. A iniciativa visa vão aprofundar o assunto para, então, resolver se libera ou não aimportação requerida pelas indústrias de café torrado e moído e solúvel do Brasil.

Segundo a Conab, entretanto, para que essa importação seja autorizada, o volume de estoque encontrado deve ser insuficiente para atender ao consumo até o início da safra em março. A demanda, segundo a indústria, é de 1,5 milhão de sacas de café.

O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) irá apoiar a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no levantamento de estoque de café Conilon capixaba disponível para o mercado. Para o diretor-técnico do Incaper, Mauro Rossoni Júnior, essa medida é fundamental para valorizar a produção do café capixaba. “Se abrir para a importação de café do Vietnã, os preços cairão. Quem está guardando café na expectativa de vender a um preço maior pode vender a um preço baixo. Por isso, temos que ser precisos nas estimativas de estoques para que o produtor não seja prejudicado”, explicou Mauro.

Segundo o Superintendente Regional da Conab Brício Alves Júnior, uma equipe de 10 pessoas já está em campo fazendo as pesquisas. “Serão visitadas cooperativas, armazéns, indústrias e comerciantes. Trata-se de um processo sigiloso, no qual a empresa pública responsável por esse serviço, a Conab, fará o levantamento. Como o Incaper já nos auxilia no processo de previsão de safra, contaremos com essa Instituição novamente”, falou Brício.

A safra 2016 de café conilon registrou quebra devido a questões climáticas. De acordo com o quarto e último levantamento da atual safra, divulgado na última semana pela Conab, a produção de conilon (que representa 15,6% da produção total de café do país) foi de 7,98 milhões de sacas, 28,6% a menos que na safra 2015. No Espírito Santo, a queda na produção chegou a 35,1%. Este resultado se deve sobretudo, à seca e à má distribuição de chuvas por dois anos consecutivos nos estágios de florescimento, formação e enchimento de grãos.

Fonte: Folha da Manhã

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *