Espírito Santo realiza maior conferência internacional de café conilon no Brasil

Imprimir

No período de 11 a 15 de junho, de 2012 acontece a Conferência Internacional de Coffea canephora, no Centro de Convenções de Vitória. O tema do evento é “Cem anos de história e evolução do conilon no Estado do Espírito Santo”. A Conferência conta com a participação de palestrantes nacionais e internacionais que discorrerão sobre temas relevantes para todas as etapas da cadeia produtiva do conilon. Conta também com a participação de países produtores e exportadores do café robusta como: Vietnã, Uganda, Índia e Costa do Marfim e são esperados cerca de 700 participantes.

A Conferência Internacional do Coffea canephora é uma a promoção do Governo do Estado do Espírito Santo, com realização do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), da Embrapa Café, unidade de pesquisa da Embrapa, empresa vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Consórcio Pesquisa Café.

O presidente da comissão executiva da Conferência, Romário Gava Ferrão, fala que um dos objetivos do evento é divulgar a importância do café conilon (Coffea canephora) no mercado brasileiro e internacional. “Em face de seus indiscutíveis atributos como matéria-prima, o café robusta é complemento na produção do café solúvel e na composição dos blends do torrado e moído”, observa.

Ainda segundo o presidente, a contribuição do café robusta à cafeicultura nacional, além do seu aspecto social e da geração de trabalho, se exterioriza, notadamente, no grande impulso dado à indústria de café solúvel. Para ter uma ideia, na produção de café solúvel, 80% da sua composição é feita com o café robusta; já o café expresso, tem 20% do robusta em sua composição. “A Conferência Internacional será um dos maiores fóruns de debates e aprendizado sobre esse grão e mostrará as tecnologias desenvolvidas por vários institutos nas áreas de melhoramento genético, biotecnologia, tecnologia de produção e questões climáticas, que é um dos principais focos”, Romário explica.

Guilherme Braga, diretor geral do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), explica que o evento representa uma justa homenagem à competência do cafeicultor capixaba e das instituições de pesquisa e assistência técnica do estado, responsáveis pela formação do mais importante polo de produção da variedade no Brasil. “A participação na Conferência muito me honra e proporciona-me a oportunidade de destacar pontos importantes do café robusta na comercialização interna e externa”.

Expositores – Entre expositores e participantes, está a Cooperativa Agrária dos Cafeicultores de São Gabriel (Cooabriel), no Espírito Santo, que irá divulgar o café de terreiro, processo diferenciado feito em pequena quantidade quando não se tem muito tempo para fazer a secagem adequada.  Além de apresentar o conilon cereja descascado, haverá também espaço para a degustação do café robusta. “O estado do Espírito Santo está de parabéns pela evidência que está dando ao produto de grande importância mundial. Além do mais, os visitantes e palestrantes irão apreciar o sabor marcante e encorpado do café robusta, que apesar de pouco divulgado, está inserido nos lares brasileiros”, ressalta o presidente da cooperativa, Antonio Joaquim de Souza Neto.

Sobre o Coffea canephora – Conhecido no mercado internacional como café robusta e mais notadamente no Brasil como conilon, a espécie Coffea canephora tem uma participação de 38% na produção mundial. No Espírito Santo, a espécie foi introduzida há 100 anos e é cultivada comercialmente desde 1972, envolvendo 64 municípios, 40 mil propriedades, 78 mil famílias e cerca de 250 mil empregos de forma direta e indireta no estado, distribuída em 300 mil hectares.

Safra Conilon 2012 no Brasil – Segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) da safra 2012, a produção brasileira de conilon está estimada em 12,3 milhões de sacas de 60 quilos, sendo 9,3 milhões no Espírito Santo, 1,6 milhões em Rondônia, e o restante da produção nos estados da Bahia (0,738), Mato Grosso (0,115), Minas Gerais (0,299) e Pará (0,165).

No Consórcio Pesquisa Café o conilon também é prioridade, sendo objeto de pesquisa em diferentes etapas da cadeia produtiva desse café.  “O Consórcio Pesquisa Café é um dos maiores realizadores do evento e é preciso que este ano haja mais interação entre produtores, pesquisadores e técnicos para divulgação das pesquisas desenvolvidas”, finaliza Romário Ferrão.

Saiba mais no site: www.conferenciaconilon.com.br.

Fonte: Área de Comunicação & Negócios da Embrapa Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *