Embrapa assina acordo para realização de pesquisas no Japão

Imprimir

O presidente da Embrapa, Pedro Arraes, e o diretor-presidente do Centro Internacional Japonês para Pesquisas em Ciências Agrícolas (Jircas), Masaru Iwanaga, assinaram nesta quarta-feira (22/08), na sede da Empresa, em Brasília (DF), o acordo para a criação do Labex Japão, o quinto Laboratório Virtual da Embrapa no Exterior.

A cerimônia de assinatura do acordo permitindo que cientistas brasileiros realizem estudos em instituições de pesquisa japonesas contou ainda com a presença do chefe da Divisão de Tecnologia do Itamaraty, Ademar Seabra Filho, do coordenador-geral de Articulação Internacional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eduardo Sampaio, e dos representantes da Embaixada do Japão no Brasil Yoswio Uchiyama e Takayoshi Fukuyo.

Na ocasião, Pedro Arraes citou a importância da colaboração científica entre Brasil e Japão no desenvolvimento da agricultura no Cerrado, nas décadas de 1970 e 1980, e o novo estágio que a cooperação atinge com a assinatura do convênio. “É uma nova parceria em alto nível, de promoção do desenvolvimento científico, em temas de interesse do Brasil e do Japão”, afirmou.

“O Labex significa uma nova era de cooperação científica”, disse Masaru Iwanaga ao ressaltar o atual estágio de excelência da pesquisa realizada nos dois países. Ele também destacou a parceria entre Jircas e Embrapa na promoção do desenvolvimento da agricultura de Moçambique, com o projeto Pró-Savana.

Para o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Maurício Lopes, a assinatura do acordo é uma oportunidade de ampliar a cooperação já existente. “O Labex vai além da aproximação entre pesquisadores. Ele promove a aproximação das organizações, em uma agenda conjunta de inovação.”

Antes da assinatura do acordo, o diretor-presidente da Jirca visitou algumas Unidades da Embrapa para conhecer um pouco mais sobre as pesquisas brasileiras que serão, a partir de agora, executadas também em solo japonês. Na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília,DF), ele conheceu o laboratório de Engenharia Genética da Unidade, onde foram mostradas as pesquisas para melhorar o aspecto nutricional das variedades, conferir resistência à seca e a diversos parasitas.

O presidente do Jircas também conheceu as pesquisas de melhoramento do amendoim, capazes de gerar variedades mais nutritivas, produtivas e resistentes a doenças e estresses ambientais. Masaru Iwanaga visitou ainda o Laboratório de Interação Molecular Planta-Praga, onde são desenvolvidas pesquisas relacionadas à resistência de plantas a doenças.

Fonte: Secretaria de Comunicação – Secom Embrapa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *