Embarques brasileiros de café diferenciado crescem no 1º trimestre

Imprimir

As exportações brasileiras de café em março caíram 16,3% em receita na comparação com o mesmo período de 2011, totalizando US$ 549,883 milhões. O volume exportado teve recuo ainda maior, de 19,8%, para 2,189 milhões de sacas. Os números foram divulgados ontem pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Segundo a entidade, a redução do volume embarcado reflete a menor disponibilidade do produto por conta da safra menor e do período de entressafra. A próxima temporada, a 2012/13, começa em julho. Apesar da menor receita, o preço médio do produto embarcado no último mês – de US$ 251,14 a saca – foi 4,46% maior que o registrado no mesmo mês de 2011.

Guilherme Braga, diretor-geral do Cecafé, afirma que não ocorreu uma maior exportação nos últimos meses favorecida pelo câmbio, motivo citado por agentes do mercado para a queda dos preços internacionais do café. Segundo o Valor Data, os contratos de café arábica de segunda posição negociados em Nova York recuaram 8,98% em março. Já os de café robusta, variedade com volume pequeno embarcado, subiram 0,85% na bolsa de Londres no período.

De acordo com Braga, o recuo das cotações na bolsa de Nova York teve início em janeiro, período que coincide com menores embarques do país. "No ano passado, os preços subiram nos períodos de maior exportação", diz. Além disso, ele explica que o volume vendido pelo Brasil não gerou excedentes no mundo, os estoques até diminuíram, fatores que poderiam "sustentar" os preços.

No primeiro trimestre do ano, o volume embarcado caiu 20,6% em relação aos três primeiros meses de 2011, para 6,541 milhões de sacas. A receita teve redução de 8,6% e somou US$ 1,710 bilhão. O destaque para o período foi o volume expressivo de exportação de cafés arábicas "diferenciados", de alta qualidade – 1,753 milhão de sacas, o que representou 26,8% do volume e 32,3% do faturamento de janeiro a março deste ano. O preço médio foi de US$ 315,66 a saca ante um valor de US$ 267,62 dos cafés em grão (arábica e robusta).

Em 2011, as vendas externas de café de melhor qualidade somaram pouco mais de 8 milhões de sacas, uma fatia de 24% do total de 33,5 milhões de sacas exportadas.

O principal mercado importador deste primeiro trimestre, de acordo com o Cecafé, foi a Europa, que comprou 56% do total exportado do produto brasileiro. A América do Norte respondeu por 21% dos embarques, a Ásia por 17% e a América do Sul por 3%.

No acumulado dos nove meses da safra (julho de 2011 a março de 2012) contra o período anterior, a receita com os embarques cresceu 21,5% para US$ 6,441 bilhões. Já o volume, de 23,689 milhões de sacas, registrou queda de quase 12%.

Fonte: Valor Econômico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *