Educampo ajuda produtores a gerenciar negócio rural

Imprimir

Há pouco tempo, o pedagogo e produtor rural Romeu Firmino da Costa Júnior, cafeicultor e proprietário da Fazenda Furnas, em Indianópolis (MG), estava prestes a desistir do negócio, o Café Senhor de Minas. Ele explica que a atividade era exercida de forma muito precária. “Para começar, não enxergava a fazenda como uma empresa. Não tinha noção de coisas básicas, como custo operacional efetivo, taxa de retorno de capital e planejamento de compra e venda”, lembra. Foi quando conheceu o projeto Educampo, do Sebrae em Minas Gerais, cuja metodologia enfoca a visão gerencial e tecnológica do negócio rural, transformando-o em uma empresa de fato.

O projeto deu ao produtor suporte administrativo, ensinando-o a ter maior objetividade para estabelecer as metas a serem alcançadas. “De dez sacas por hectare, passei a produzir 32. Com planejamento, pretendo alcançar 45 sacas em 2013, aumentando cada vez mais”, enfatiza Romeu. “Hoje, posso dizer que saí do amadorismo para ser, de fato, um profissional de gestão do ramo da cafeicultura”.

O Educampo foi criado em 1996, após realização de um diagnóstico da pecuária leiteira em Minas Gerais. Chefiada pelo professor Sebastião Teixeira Gomes, a pesquisa apontou a carência de assistência tecnológica e gerencial qualificada como a causa principal da baixa produtividade. Inicialmente aplicado na cidade de Araxá, no Alto Paranaíba (MG), o projeto busca ensinar ao produtor rural gerenciar sua propriedade como uma empresa de sucesso. A metodologia foi tão bem-sucedida que, aos poucos, ampliou o foco de atuação. Atualmente, engloba as áreas de cana de açúcar, café e fruticultura.

O grupo de produtores que ingressa no projeto tem, como primeira atividade, um diagnóstico pormenorizado da sua empresa rural, contendo indicadores de eficiência. “São analisados diversos fatores, como terra, mão de obra, máquinas e equipamentos, animais e lavouras. São evidenciados os principais gargalos técnicos que impactam diretamente os indicadores econômicos e a rentabilidade da empresa”, esclarece o analista de Agronegócios e Coordenador do Educampo, Rogério Nunes Fernandes.

O projeto baseia-se em quatro princípios. O primeiro deles é a identificação de um parceiro (agroindústria), que terá o papel fundamental de coordenar os consultores na aplicação da metodologia, bem como operacionalizar todas as ações do projeto. O segundo é a formação de um grupo de produtores vinculados a esse parceiro estratégico. O terceiro é o trabalho focado na consultoria gerencial e tecnológica, de caráter individual, intensivo e periódico. E o quarto consiste no pagamento de pelo menos 50% do custo das consultorias mensais pelo produtor participante.

Os resultados alcançados pela aplicação da metodologia do Educampo possibilitam ganhos como melhora da qualidade da matéria-prima, aumento de volume de produção, redução de custos e, sobretudo, crescimento da rentabilidade. Nas regiões atendidas pelo projeto, observa-se mudanças na relação com fornecedores e compradores, no que compete à tecnologia e gerenciamento.

Crescimento

“Notamos, nas propriedades participantes, um crescimento produtivo três vezes superior em relação à média da região. Isso graças a uma consultoria que ensina o produtor a pensar e questionar suas atitudes, a fazer diferente e melhor, com menor custo e mais eficiência, ajudando a promover o desenvolvimento do agronegócio no país”, ressalta Rogério Nunes.

Hoje, o Educampo atende todas as regiões do estado, com maior concentração nas regiões Leste, Oeste e Sul. Desde o início do projeto, foram 254 municípios atendidos, 4,8 mil produtores rurais beneficiados e, atualmente, 99 consultores técnicos de campo.

Serviço:
Sebrae em Minas Gerais – (31) 3379-9275
www.mg.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800

Fonte: Agência Sebrae

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *