Cooperativas têm superávit recorde de US$ 5,329 bi

Imprimir

O saldo da balança comercial das cooperativas brasileiras no período de janeiro a novembro atingiu um superávit de US$ 5,329 bilhões. O resultado é recorde para o período e representa 37,2% mais que nos primeiros onze meses de 2010 (US$ 3,884 bilhões). Os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) mostram que as vendas externas das cooperativas somaram R$ 5,651 bilhões e cresceram 36,7% ante igual período do ano passado, atingindo o maior valor da série histórica iniciada em 2005.

Segundo o balanço do MDIC, as importações realizadas pelas cooperativas passaram de US$ 249,6 milhões de janeiro a novembro do ano passado para US$ 322,2 milhões neste ano, registrando aumento de 29,1%. A corrente de comércio no período também apresentou o melhor desempenho da série: US$ 5,974 bilhões, valor 36,3% acima do mesmo período do ano passado. A participação das cooperativas na pauta brasileira passou de 1,9%, em 2005, para 2,4% em 2011.

O levantamento aponta que dos 27 estados da federação, 20 realizaram exportações por meio de cooperativas, de janeiro a novembro de 2011. No mesmo período de 2010, foram 18 os estados exportadores. Este ano, São Paulo foi o que registrou o maior valor nas vendas externas das cooperativas (US$ 1,88 bilhão, 33,3% do total); seguido do Paraná (US$ 1,807 bilhão, 32%); Minas Gerais (US$ 782,5 milhões, 13,9%); o Rio Grande do Sul (US$ 348,3 milhões, 6,2%); e Santa Catarina (US$ 281,9 milhões, 5%).

O principal produto da pauta de exportações das cooperativas foi o açúcar refinado (US$ 949,1 milhões); seguido do café em grãos (US$ 740,3 milhões); da soja em grãos (US$ 691,3 milhões); e do açúcar em bruto (US$ 656 milhões, 11,6%).

Os principais produtos importados pelas cooperativas neste ano foram: cloretos de potássio (US$ 51,5 milhões); diidrogeno-ortofosfato de amônio (US$ 27 milhões, 8,4%); ureia com teor de nitrogênio (US$ 26,7 milhões, 8,3%); cevada cervejeira (US$ 23,8 milhões, 7,4%); e malte não torrado (US$ 18 milhões, 5,6%).

As cooperativas neste ano exportaram para 133 países. Os principais destinos foram: China (US$ 709,7 milhões e 12,6% do total); Estados Unidos (US$ 585,3 milhões e 10,4%); Emirados Árabes Unidos (US$ 505,5 milhões e 8,9%); e Alemanha (US$ 411,7 milhões e 7,3%). As importações das cooperativas tiveram origem em 48 países. Os maiores exportadores foram: a Argentina (US$ 45 milhões e 14% do total); Rússia (US$ 44,1 milhões e 13,7%); Alemanha (US$ 40,8 milhões e 12,7%); e Paraguai (US$ 28,5 milhões e 8,8%).

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *