Conheça os campeões do 2º Prêmio Café Brasil de Jornalismo

Imprimir
Emoção e alegria deram o tom na cerimônia do 2º Prêmio Café Brasil de Jornalismo, realizada na noite de terça-feira, 19 de março, na sede da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), em Brasília (DF). Foram revelados os campeões da competição, que é realizada pelo Conselho Nacional do Café (CNC) em parceria com a OCB, a Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul) e conta com apoio da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT).

Na categoria Rádio, o título ficou com Júlio Vieira, da BandNews Belo Horizonte, com o material “Brasil – O Barão Mundial do Café”. O segundo lugar foi para Terezinha Jovita, com a reportagem “Cafesul: desenvolvimento social, econômico e ambiental no sul do Espírito Santo com o comércio justo”, e a terceira colocação para Marcos Menezes, pelo conteúdo “O poder do cooperativismo na sustentabilidade do homem no campo”, ambos da Rádio Espírito Santo.

O campeão da categoria TV foi o jornalista Bruno Faustino, da TV Educativa ES, com a matéria “Arábica: café muito além do grão”. O conteúdo “O crescimento do mercado de cafés especiais no Brasil”, editado por Pedro Aurélio Carvalho e produzido por Lucas Magalhães, da EPTV Sul de MG, afiliada Rede Globo, obteve a segunda colocação na categoria, que teve como terceiro colocado o material “Mulheres na cafeicultura – exemplo capixaba”, elaborado pela jornalista Camila Soares, também da TV Educativa ES.

A categoria Impresso teve como campeão o material “Um pó de mulheres poderosas”, de autoria de Leandro Fidelis, da Revista Safra ES. Na sequência, vieram as reportagens “Mais renda para o cafeicultor capixaba” e “O grão que nos conquista”, elaboradas pelos jornalistas Julio Huber, da Revista Negócio Rural, e Hulda Rode, da Revista RDM Rural, respectivamente.

Na categoria Internet, o título foi para o jornalista Fernando Dantas, da Revista Safra Online, pelo conteúdo “Garantia de bom café à mesa”. A segunda colocação ficou com Paulo Beraldo e Everton Sylvestre, do site De Olho no Campo, com a reportagem “Referência em café há 94 anos, Garça vive novo ‘boom’ e quer se tornar polo nacional até 2025”. Encerrando a lista de premiados veio a matéria “O aroma do cooperativismo do café”, de Jonas Feliciano, do Portal Eu, Rio!.

A premiação total da competição foi de R$ 90 mil, distribuída em R$ 10 mil, R$ 7,5 mil e R$ 5 mil aos três primeiros colocados das categorias Impresso, Internet, Rádio e TV. “O Prêmio é uma excelente oportunidade para reconhecer o jornalismo profissional e responsável do Brasil. Foram recebidos excelentes conteúdos de aproximadamente 70 jornalistas e a definição dos vencedores se deu através das reportagens que mais se aproximaram do tema e cumpriram os requisitos de análise da banca. Mais do que celebrar o bom jornalismo, a competição comemora o destaque dado pelos jornalistas ao café e ao cooperativismo nacional”, comenta o presidente do CNC, Silas Brasileiro.

Para o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, o trabalho dos profissionais da imprensa, sempre pautado na verdade, é fundamental para a construção de um país mais justo, equilibrado e com melhores oportunidades para todos. “Nós, do cooperativismo, temos a certeza que uma sociedade forte é aquela que valoriza a atuação dos jornalistas dedicados a contar as histórias de personagens inspiradores. E as cooperativas de café são cheias de pessoas que, todos os dias, fazem sua parte em prol de um Brasil melhor. Parabéns a todos vocês, jornalistas, que já perceberam o quanto cooperar vale a pena e que não se cansam de dar boas notícias, sempre”, enaltece.

A segunda edição do Prêmio deu especial atenção à importância econômica da atividade cafeeira nas regiões onde é exercida, tendo como suporte as cooperativas, que se mostram cada vez mais vitais para que a cafeicultura nacional mantenha sua força, gerando milhões de empregos e movimentando as economias regionais, fortalecendo os diversos segmentos do comércio e preservando o meio ambiente, fato vital para que a sustentabilidade seja uma constante.

O presidente da Minasul, José Marcos Rafael Magalhães, destaca a importância do Prêmio Café Brasil de Jornalismo e o esforço que cooperativas, como a Minasul, fazem ao explicitar as necessidades e responsabilidades social e ambiental que o cooperativismo e a cafeicultura exercem. “O entusiasmo dos jornalistas brasileiros na promoção e na divulgação das boas práticas cooperativistas vão ao encontro das premissas da sustentabilidade da cadeia e é vital para que possamos apresentar, cada vez mais, nossa correção e nossa excelência na prática de nossas atividades”, comenta.

ASPAS PARA OS CAMPEÕES

“A mídia isenta e independente é fundamental para a manutenção da democracia e do bom jornalismo, que é chancelado e valorizado por iniciativas como o Prêmio Café Brasil. A iniciativa reconhece autores de trabalhos profundos e inovadores, que ajudam a trazer ao público uma reflexão sobre a realidade do setor e, principalmente, respostas para gargalos que ainda travam o crescimento de um Brasil que tem no próprio DNA a cultura cafeeira. Particularmente, produzir o especial ‘Brasil – O Barão Mundial do Café’, foi um mergulho em parte da história da minha própria família, que já teve produtores apanhadores que fizeram a vida com o nosso ‘ouro negro’”
Júlio Vieria, BandNews BH

“A valorização de um produto tão importante quanto o café fortalece a economia de regiões produtoras e o trabalho realizado por quem se esforça para levar ao telespectador, ouvinte ou leitor informação precisa, correta e de credibilidade. Estar entre os finalistas pela segunda vez é uma alegria imensa. É a prova que seguimos no caminho certo, o caminho da verdade. O Prêmio Café Brasil é um exemplo a ser seguido. Com ele, conseguimos mostrar exemplos de um Brasil forte e que dá certo!”
Bruno Faustino, TV Educativa ES

“A cafeicultura e o cooperativismo são minhas pautas recorrentes durante o ano na Revista Safra ES. A reportagem que me alçou aos finalistas do 2º Prêmio Café Brasil de Jornalismo garantiu o primeiro lugar no Prêmio de Jornalismo Cooperativista da OCB/ES de 2018, por isso foi uma grata surpresa ser premiado com o mesmo material em um prêmio de abrangência nacional. Faço votos de vida longa ao evento do CNC e da OCB, que ajuda a divulgar as cooperativas de cafeicultores em todo o Brasil”
Leandro Fidelis, Revista Safra ES

“Sou apaixonado pelo jornalismo e pelo agronegócio. Poder trabalhar nessas duas áreas é um grande prazer. E receber um prêmio pelo resultado de um trabalho que junta essas duas vertentes é mais prazeroso ainda, é o reconhecimento pelas informações e histórias que contamos em nossas matérias. Saber que, entre várias reportagens, a sua, que foi feita com tanto esforço, em busca da fonte ideal e daquele personagem que tem uma história interessante, é finalista em uma premiação nacional, é sensacional! Participar e ser premiado no 2º Prêmio Café Brasil de Jornalismo, principalmente agora, com o aumento das ‘fake news’, é mais importante ainda, porque, mais do que nunca, percebemos a necessidade do profissional jornalista para levar informação correta e qualificada para a população”
Fernando Dantas, Revista Safra Online

Fonte: Ascom Minasul

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *