Colheita do café está atrasada no Sul de Minas

Imprimir

Na fazenda do produtor Arnaldo Botrel, no município de Carmo da Cachoeira, o planejamento foi alterado por causa do clima. As chuvas dos últimos meses atrasaram a colheita do café.

A propriedade que ocupa 200 hectares tem 1,2 milhão de pés. A expectativa do produtor é colher 5 mil sacas, mas até agora bem pouco foi para o terreiro.

A falta de mão de obra é outro problema que os produtores de café do sul de Minas Gerais enfrentam durante o período de colheita. Em uma lavoura que fica praticamente dentro do município de Três Pontas, o proprietário está com dificuldade para encontrar apanhadores.

Dez safristas trabalham para o produtor Antônio Tarcísio, mas ele conta que precisaria de pelo menos 15.

Com menos oferta, contratar ficou mais caro. O ano passado, cada trabalhador recebia R$ 9 para colher uma medida, o equivalente a 60 litros de café. Hoje, não se encontra mão de obra por menos de R$ 12, ruim para os donos das fazendas, bom para os trabalhadores. Serviço não falta.

Quem conseguiu encontrar mão de obra está mudando a rotina de trabalho para acelerar a colheita. A agricultora Carmen Brito fala sobre o sistema, confira a entrevista no vídeo com a reportagem completa.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *