Campinas (SP) sedia 2º Fórum Mundial de Produtores de Café

Imprimir

A discussão da sustentabilidade na produção do café e os riscos do aquecimento global foram os temas que abriram o II Fórum Mundial de Produtores de Café 2019, realizado nesta quarta-feira (10) no Centro de Convenções Royal Palm Hall, em Campinas. O evento continua nesta quinta-feira.

O fórum, o maior do tipo que o Brasil já recebeu, uniu produtores de café, estudiosos e empresários para debater os rumos da produção no país e o cenário mundial da commodity. Cerca de 1,5 mil pessoas participaram do evento, com nacionalidades diferentes. O encontro recebeu inscrições de mais de 40 países.

ministro de Agricultura, Marcos MontesO ministro de Agricultura, Marcos Montes, marcou presença no local. Ele afirmou que o governo Bolsonaro está atento às demandas dos produtores de café e que a reforma da Previdência ajudará não somente a eles, mas a sociedade como um todos.

“A reforma é fundamental para o Brasil. E outras reformas virão. A cadeia tem que proteger o produtor. Estamos sentando com a frente parlamentar de cafeicultura para procurar um preço mais acessível para ele, gerando mais riqueza para o produtor e para o setor”, afirmou o ministro.

PREÇO DE PRODUÇÃO

Como maior produtor de café do mundo, o Brasil está diante de uma das piores quedas de preço do café nas últimas décadas, segundo dados Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

Entre os motivos, estão a variação do café arábica em maio e distância entre produtores e consumidores finais, o que desagrega valor na origem do produto. Além disso, o produtor também começa a se preocupar com soluções sustentáveis para as fazendas.

É PRECISO O FIM DO COMBUSTÍVEL FÓSSIL

Uma das ideias defendidas no evento é o fim do combustível fóssil e a busca por biocombustíveis. “O Brasil dever ser um líder neste aspecto. Com o avanço do aquecimento global temos mais mudanças climáticas, o que pode acabar com a diversidade do café. Para isso, precisamos como política de governo a proteção da floresta tropical, o incentivo a energia limpa e acabar com a dependência ao combustível fóssil”, explicou o palestrante e professor da Universidade do Colorado Jeffrey D. Sachs.

Ele também defendeu a criação de um fundo mundial financiado por grandes empresas para investir em locais menos favorecidos, para evitar a degradação ambiental e a pobreza social que estariam atreladas a produção da matéria-prima.

APP PARA FAZENDAS

O evento também lançou um aplicativo para os produtores de café que pode facilitar a gestão das fazendas e da produção do produto. É o aplicativo “Fazenda Digital”, disponível para Android e iOS.

A “Fazenda Digital da Agrotopus” tem a proposta de integrar todos os dados que o responsável da propriedade precisa para gerenciar as operações, unindo soluções em um só sistema.

No app, é possível localizar a fazenda em um mapa virtual, verificar o trajeto dos tratores, e a produção diária do produto.

Fonte: ACidade On Campinas, foto de Ricardo Schneider e vídeo EPTV e G1 São Carlos/Araraquara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *