Cafés da Região do Cerrado Mineiro alcançam posição de destaque em concursos

Imprimir

Nos meses de novembro e dezembro, dois importantes concursos na área de cafés especiais foram realizados e neles os cafés da Região do Cerrado Mineiro alcançaram boas colocações, fato que demonstra a dedicação dos produtores da região e comprova a alta qualidade do café aqui cultivado.

Terceira Prova de Cafés Certificados Imaflora

O concurso realizado em Campinas no dia 09 de dezembro foi promovido pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), Universidade Federal de Lavras, Ateliê do Café e Daterra. O evento reuniu 80 amostras de café de propriedades certificadas com o selo Rainforest Alliance Certified, certificação que preza a produção do café através de boas práticas agrícolas e sociais, ou seja, valorizando o meio ambiente e as pessoas.

O primeiro lugar do concurso foi para o Estado de São Paulo, mas entre as 10 colocações, Minas Gerais figura em nove, perdendo somente a primeira. O Cerrado Mineiro angariou três colocações ficando a fazenda Pântano, propriedade da família Ferrero, sediada na região de Coromandel, com a quinta posição; o grupo Alto Cafezal, de Patrocínio, pertencente ao empresário José Carlos Grossi, com a oitava e a fazenda Cinco Estrelas, também de Patrocínio e propriedade de Ricardo Bartholo, pertencente ao GRAE – Grupo Rainforest Alliance Expocaccer, com a décima colocação. Para Wagner Ferrero, sócio-proprietário da Fazenda Pântano, figurar entre os dez colocados deste concurso é uma excelente opção de marketing para seu café. “A importância de concursos como este é a valorização, o retorno financeiro. É uma resposta aos investimentos realizados na propriedade, a busca pela qualidade e a boa condução da lavoura, tudo isso aliado à sustentabilidade, fator muito importante nos dias de hoje”. Ferrero também ressalta que os benefícios da certificação na fazenda vão além dos ganhos financeiros. “A certificação não é somente agregação de valor, é também uma melhoria em vários aspectos da propriedade, principalmente na qualidade de vida dos nossos colaboradores”.

7º Concurso de Qualidade de Cafés Especiais de Minas Gerais

O café do Cerrado Mineiro também se destacou no tradicional concurso do Estado. A premiação é uma realização da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), em parceria com a EMATER e Universidade Federal de Lavras. A sétima edição contou com 974 amostras inscritas de todas as regiões produtoras do Estado, as quais passaram pela análise física e sensorial de juízes de Minas Gerais e de outros Estados. O processo de seleção foi realizado entre os meses de setembro e outubro, sendo que na etapa final somente 49 amostras foram classificadas.

A classificação do concurso foi dividida em duas categorias: prêmio estadual para Café Natural e Cereja Descascada com 18 vencedores e prêmio regional, sendo seis classificados para cada uma das principais regiões produtoras de café de Minas (Sul, Matas de Minas e Cerrado Mineiro). A divisão por regiões tem por objetivo promover o café de cada uma delas, respeitando e valorizando as características de cada local. No dia 25 de novembro a organização do concurso realizou a premiação.

A fazenda Chapadão de Ferro, em Patrocínio, de propriedade da família Delarisse, teve suas amostras dentre as principais classificadas. Na categoria estadual, no quesito Cereja Descascado, a fazenda obteve a segunda posição, já na categoria por região, a família Delarisse levou para casa, e para o Cerrado Mineiro, a primeira e a segunda posição. Ruvaldo Delarisse, sócio-proprietário da fazenda relembra que entre as três últimas edições deste concurso, a fazenda sempre manteve boas colocações e afirma que o valor disso reside na qualidade do produto. “O mais importante de estar bem classificado é a confirmação da qualidade do nosso café, pois durante todo o ano realizamos um trabalho minucioso para que a qualidade seja mantida”. Delarisse ainda afirma que a excelente pontuação de seu café no concurso não gera acomodação no trabalho e sim o contrário disto. “O fato de ter uma boa colocação significa que conseguimos atingir uma boa qualidade, mas não significa que não possamos ir além, a nossa busca por um café de alta qualidade permanece. Esta é uma forma de valorizar o nosso produto, o nosso trabalho e a região do Cerrado Mineiro”. A fazenda Chapadão de Ferro faz parte do programa Certifica Minas, programa de certificação de café do governo estadual, que tem por objetivo atestar a conformidade das propriedades cafeeiras com os requisitos do comércio mundial, segundo o produtor Amir Galdino de Oliveira.

O Cerrado Mineiro também angariou a segunda posição do prêmio estadual, no quesito Natural, com o café da fazenda Araras, de propriedade de Acácio Dianin, sediada na região de Monte Carmelo. O primeiro e o terceiro lugar, em ambas as categorias, ficaram respectivamente para a região do Sul e Matas de Minas.

A boa colocação nos concursos é fato que atesta o profissionalismo e a qualidade do café da região.

Fonte: Coffee Break

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *