Cafeicultores perdem lavouras inteiras por causa da lama em Colatina, ES

Imprimir

Cerca de 60 produtores rurais de Colatina, no Espírito Santo, que dependem exclusivamente do Rio Doce para irrigar as plantações, perderam lavouras inteiras depois da chegada da lama de rejeitos no estado. No distrito de Itapina, agricultores relataram o prejuízo.

Sigmar Santos Rocha é um dos produtores rurais que teve prejuízo na região. Ele tem 6 mil pés de café plantados em todo o terreno, o que renderia uma média de 80 sacas na próxima colheita.
Depois que a lama de rejeitos de minério da Samarco, cujos donos são a Vale e a anglo-australiana BHP Billiton, chegou a produção teve que parar. Com a falta de chuvas, os frutos ficaram perdidos e os galhos secaram. "Não tem nada e o que tem nos pés não vai valer nada", disse.

O pai de Sigmar, Nelson Rocha, que vive há mais de 40 anos em uma ilha em Colatina. É dessa terra que ele tira o sustento da família e não sabe o que fazer, mesmo com a ajuda que recebeu da Samarco.

"Mandaram R$3.242, está lá no banco, porque foi de três meses. Mas isso aí não paga nem a energia", disse o produtor rural.

Plantação de tomate
Sem poder usar a água do Rio Doce, uma plantação de tomates acabou. Eram 21 mil pés que ficavam na propriedade de Carlos Alberto Rudio.

Segundo o agricultor, o prejuízo é de pelo menos R$200 mil. "Na época eu perdi de 3 a 4 mil caixas de tomate, mais ou menos, o tomate estava dando uns R$50 reais a caixa", contou.

Lama muda a paisagem em Colatina, no Espírito Santo (Foto: Viviane Machado/ Arquivo G1: 06/12/2015)

Samarco
A empresa informou que vários estudos estão sendo realizados pra saber se a água do Rio Doce pode ser usada sem tratamento. Já o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) de Colatina disse que a água do rio pode ser utilizada na lavoura.

A samarco disse ainda que o beneficio pago aos profissionais que dependem do Rio Doce foi definido num acordo feito com o Ministério Público do estado. Esse benefício será pago até o mês de maio.

Fonte: G1 ES e TV Gazeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *