Cafeicultores aguardam pagamento do governo há quase um mês

Imprimir

          Há quase um mês produtores de café de todo o país aguardam receber do Governo Federal o pagamento pelas sacas que venderam no leilão do ano passado. Estima-se que em Minas Gerais quase 1.500 produtores participaram do leilão que tem o objetivo de manter o preço do produto no mercado. De acordo com informações do Ministério da Agricultura, na região de Varginha são mais de 400 cafeicultores aguardando o dinheiro.

 

          O presidente do Conselho Nacional do café (CNC), Gilson Ximenes, em reunião no Centro do Comércio de Café do Estado de Minas Gerais (CCCMG) na terça-feira (12) demonstrou decepção com o não cumprimento do acordo por parte do governo. “Mandei uma carta endereçada ao Ministro da Agricultura cobrando o pagamento. O cafeicultor honrou seus compromissos, entregou o café em dia e agora pelo governo não cumprir a parte dele, não pagar após quase um mês, está tendo dívidas e ficando em falta com funcionários, fornecedores e demais despesas. Tínhamos como um negócio certo, não recebemos, mas continuaremos cumprindo nossa parte e entregaremos as sacas firmadas em contrato”. Explicou.

          O pagamento deveria ter sido feito no dia 15 de dezembro, mas o Tesouro Nacional não liberou a verba do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), aprovada pelo Projeto de Lei (PLN) 079/2009, com a finalidade de pagamento de cerca de 2 mil cafeicultores que venderam o café para o governo via leilão de opções.

          A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) reconhece a falta de pagamento e afirma que questões burocráticas é que geraram o impasse. A assessora da Conab em Belo Horizonte, Maria de Fátima Souza Araújo, informou ao CCCMG que a verba foi liberada na tarde de quarta-feira (13) e que deverá ser depositada na manhã do dia 14 e ainda pode levar três dias úteis para chegar à conta do produtor. A Conab já pagou em outras parcelas cerca de R$ 10 milhões aos cafeicultores e ainda tem cerca de R$ 135 milhões a pagar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *