Café obtém preço recorde no 1º concurso Colômbia, Terra da Diversidade

Imprimir
Entre os 25 cafés leiloados, o café produzido por José Anargel Rodríguez em sua fazenda Morro Azul, na vereda China Alta do município de Ibagué, Tolima, na Colômbia, conseguiu um preço recorde de US$ 50,5 por libra (0,45 kg) no leilão do primeiro concurso nacional de café, “Colômbia, Terra da Diversidade”.

O produtor tolimense tinha sido, algumas horas antes, o grande vencedor do concurso, pois seu lote de café ganhou tanto para o atributo de acidez como para o de café exótico. Com um duplo reconhecimento de 25 milhões de pesos (US$ 8.537,49), de um total de 50 milhões (US$ 17.075), que se somam ao preço obtido no leilão.

Foto: Federación Nacional de Cafeteros

O café de José Anargel foi adquirido por um comprador da China, Dai Wei, da empresa Shanghai Mellower, a quem o produtor, agradecido e emocionado, fez a entrega de seu sombrero típico tolimense e de seu lenço vermelho, como recordação de compra-venda.

“Muito obrigado ao produtor desse café por seu trabalho. Os chineses merecem os melhores cafés e, por isso, estivemos dispostos a pagar o que for”.

Os preços base do leilão, do qual participaram cafés de Cauca, Cundinamarca, Huila, Nariño e Tolima, foram de cinco dólares por libra para a categoria de pequenos lotes e de dois dólares por libra para grandes lotes.

Os 25 lotes de café leiloados, incluídos os cafés ganhadores do concurso, obtiveram um preço médio de US$ 10,86 por libra.

O lote de María del Carmen Melo, do município de Consacá, Nariño, obteve o segundo melhor preço no leilão: US$ 30,5 por libra. Este café foi ganhador para o atributo de equilíbrio e obteve também um reconhecimento de 25 milhões de pesos.

No animado leilão ao vivo, compradores nacionais e internacionais premiaram a qualidade e o esforço dos cafeicultores para produzir cafés da mais alta qualidade, o que se traduzirá em melhores receitas para os produtores e suas famílias.

Antes do leilão, os cafés de Tolima, Nariño e Cauca foram ganhadores do concurso, avaliados segundo um protocolo único e inovador para os atributos de acidez, equilíbrio, corpo, suavidade e café exótico (na categoria de micro lotes), assim como o melhor café da fazenda na categoria grandes lotes.

Além disso, os cafés de José Anargel e María del Carmen, também foram ganhadores o café de Diomedes Bolaños Iles, do município de Balboa, Cauca, para o atributo de corpo, e de Luis Alejandro Muñoz, de Planadas, Tolima, para o atributo de suavidade. Cada um também recebeu 25 milhões de pesos.

Por último, como o melhor café da fazenda (na categoria Grandes Lotes), o lote produzido por Carlos Alberto Eraso foi ganhador, do município de Lá Unión, Nariño, que ao receber seu reconhecimento agradeceu ao trabalho das pessoas que trabalham em sua colheita.

Mais informações em www.expoespeciales.com. As informações são da Federación Nacional de Cafeteros/ Tradução por Juliana Santin

Fonte: CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *