Café fecha em alta em NY; gráficos de longo prazo são positivos

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica viveram um dia de alta volatilidade na ICE Futures US. Os preços variaram entre altas e baixas e, ao final do intraday, os ganhos prevaleceram, mas o dezembro ainda se manteve abaixo do intervalo psicológico de 200,00 centavos de dólar por libra peso.

O dólar, que vinha sendo um fator de pressão sobre as commodities, teve um dia de ligeira retração, o que colaborou para que algumas commodities softs não voltassem a acumular vendas e a saída de players.

O índice CRB teve um dia de queda ligeira, que foi estimulada basicamente pelo petróleo, que caiu mais de 2,5%. As bolsas de valores nos Estados Unidos, por sua vez, registraram estabilidade.

Sem a pressão externa, o mercado de café voltou a flutuar em cima de fatores técnicos e, apesar de ter testado algumas baixas, a recuperação veio na segunda metade do dia. Um operador destacou que o movimento corretivo tende a perder força, com os players analisando se o dezembro irá, ao final desse processo, conseguir se manter acima do nível psicológico de 200,00 centavos de dólar por libra peso.

No encerramento do dia, o dezembro registrou alta de 165 pontos, com a libra a 199,45 centavos, sendo a máxima em 200,85 e a mínima em 195,65 centavos por libra, com o março tendo oscilação positiva de 235 pontos, com a libra a 202,85 centavos, sendo a máxima em 203,80 e a mínima em 198,30 centavos por libra.

Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição janeiro teve alta de 2 dólares, com 1.858 dólares por tonelada, ao passo que o março registrou valorização de 2 dólares, com 1.870 dólares por tonelada.

De acordo com analistas internacionais, os futuros de café estiveram sob pressão nas sessões recentes, depois de o mercado ter batido nas máximas de 13 anos neste mês. Por enquanto, os indicadores técnicos de alta de longo prazo parecem não ter sido prejudicados na atual correção.

Mas o mercado está próximo da zona de suporte, o que poderia pressionar os preços, caso o fechamento se desse próximo da zona de 195,15 centavos de dólar. Na indicação gráfica diária, o março bateu na máxima de 13 anos no dia 10 de novembro, em 221,45 centavos por libra.

Nesse dia, no entanto, o mercado bateu numa "formação reversa", o que foi lido como bearish (baixista), sendo que, a partir daí, um movimento corretivo passou a ser observado. As perdas voltaram a ser processadas com o mercado se mostrando em níveis sobrecomprados.

Em termos de longo prazo, contudo, o mercado ainda é bull (altista). O março ainda se posiciona acima das médias móveis de 200, 100 e 50 dias, o que pode dar sustentação às compras.

No entanto, nas sessões recentes os contratos de café caíram para baixo das médias móveis de 20 e 10 dias, durante o movimento corretivo. Isso significaria, segundo os analistas, que os níveis de resistência para o março estariam em 204,93 e 208,44 centavos de dólar, respectivamente. "O mercado deveria escalar essas médias de 10 e 20 dias para decretar o fim dessa onda corretiva para baixo", disse um operador.

Um trader sustentou que o mercado não violou o nível de baixa anterior no gráfico, em 195,15 centavos, atingido em 3 de novembro. Esse fator seria uma garantia de que a linha gráfica de alta ainda estaria intacta.

Assim, os 195,15 centavos seria o principal suporte no médio prazo e, se rompido, poderia estimular o mercado a testar os 185,00 centavos. "O mercado trabalha para cima ou para baixo dentro dos movimentos corretivos quando necessário.

Caso esse mercado atual se posicione abaixo dos 195,00 centavos para o março, teríamos uma retração real. Acima desse nível a movimentação é meramente corretiva e o mercado deve manter seu sentimento altista acima disso", apontou um operador.

As exportações de café do Brasil em novembro, até o dia 16, somaram 1.021.690 sacas, contra 658.794 sacas registradas no mesmo período de outubro, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). Os estoques de café certificados na bolsa de Nova Iorque tiveram queda de 45.343 sacas, indo para 1.736.581.

Tecnicamente, o dezembro na ICE Futures US tem uma resistência em 200,85, 201,00, 201,50, 202,00, 202,50, 203,00, 203,50 e 204,00 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 195,65, 195,50, 195,00, 194,50, 194,00, 193,50, 193,00, 192,50 e 192,10-192,00 centavos por libra.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *