Café é vendido por R$1100 em rodada de negócios em Muzambinho

Imprimir
O Instituto Federal do Sul de Minas campus Muzambinho, realizou sua 2ª Rodada de Cafés Especiais, no último dia 5. Os trabalhos contaram com cafés de Muzambinho e de Cabo Verde, finalistas do concurso de qualidade de café 2016. O evento foi organizado por representantes do IFSULDEMINAS – Campus Muzambinho, da Associação dos Produtores de Cafés Especiais de Cabo Verde (ASSPROCAFÉ), do Sindicato dos Produtores Rurais, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da EMATER – MG e da Prefeitura Municipal de Muzambinho.

O café que obteve o maior lance foi o do produtor Lauro Antônio dos Reis, do município de Cabo Verde, que atingiu 85 pontos. O grão recebeu a oferta de R$1100,00 (mil e cem reais) da Cafeeira Grão Verde.

Foram analisadas cerca de 30 amostras de cafés e a 2ª Rodada de Cafés Especiais contou com a participação de pessoas físicas e jurídicas como: Cafebras, Cafeeira Grão Verde, SMC Comercial e Exportadora, Stockler Comercial e Exportadora, Arábica Comércio e Serviços de café.

Seus representantes participaram de uma degustação na qual os cafés, separados por município, ainda eram classificados quanto à propriedade de origem, nome do produtor rural, total de sacas e tipos de processamento.

Após a análise, os compradores fizeram ofertas que foram depositadas em uma urna. Esses lances foram lidos a todos produtores no final do evento e, em posse da oferta feita aos seus lotes, cada produtor teve a oportunidade de negociar a venda do seu produto.

Além da Rodada, no início foi apresentada a palestra “Prevenção de riscos no uso de máquinas agrícolas na cafeicultura”, pelo professor Geraldo Gomes de Oliveira Junior, que comentou sobre a segurança no trabalho e os riscos e deveres da produção. Também ministrou palestra, dessa vez sobre “Gestão e controles na cafeicultura, com foco na certificação de propriedades”, o extensionista Clóvis Piza.

O professor Cláudio Bachião ainda destacou que a Rodada de Cafés Especiais também é relevante para os estudantes que puderam participar, já que possibilita que eles aprendam “a importância que tem a qualidade do café. Aqui na escola, os alunos já tem acesso a todo processo de produção desde o plantio, processamento, manejo, até chegar no pós colheita. Aqui a gente vê, explicitamente, o efeito do manejo do produtor e do clima de cada região, na xícara. Assim o aluno vai sair um profissional preparado e entendendo de cada habilidade que ele precisa ter depois do seu curso”.

Fonte: CaféPoint (Com fotos de IFSuldeminas campus Muzambinho e Arruda São Pedro)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *