Café: déficit hídrico no Sul de MG pode danificar lavouras, alerta Procafé

Imprimir

As chuvas de junho ficaram abaixo da média histórica no sul de Minas Gerais, principal região produtora de café do País. O volume de chuva no mês passado em Varginha alcançou 6,4 mm, para um índice histórico de 35,5 mm (período dentre 1974 e 2013), informa a Fundação Procafé, em seu boletim de avisos fitossanitários. "As regiões de Varginha, Carmo de Minas e Boa Esperança aumentaram o déficit hídrico, enquanto Muzambinho diminuiu", informa a fundação.

Conforme a Fundação Procafé, os níveis de déficit hídrico atingidos (150 mm) já estão próximos ao ponto de murcha dos cafeeiros (foto: Luiz Simoni/CaféPoint). "Considerando a evapotranspiração acumulada até o retorno das chuvas, associada à ausência de precipitações, existe alto potencial de danos por desfolha e depauperamento das plantas", comenta a fundação.

As temperaturas no sul de Minas ficaram acima da média histórica em junho. A média do mês passado foi de 18 graus em Varginha, para um índice histórico de 16,7 graus.

Os índices de infecção média por ferrugem nas regiões aumentaram e estão em 54,2% de folhas infectadas. "Esta evolução indica tendência de ocorrência tardia da doença", alerta a Fundação Procafé.

Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *